29 de abr de 2013

My Dear Nerd - Capítulo 9 - Teste de Torcida


POV ANNA
– Bom... Na verdade eu não sei bem. – respondi suspirando. Será que eu devo?
– O que eu escrevo em resposta?- perguntei nervosa a Justin, que bufou me olhando.
– Acho melhor guardar o papel. O professor tá olhando muito pra cá.- avisou ele, voltando a anotar em seu caderno, o assunto no quadro em uma caligrafia perfeita. Suspirei guardando o papel no bolço.
O tempo parecia não passar, e eu não sabia o que fazer ou dizer. Quer dizer, eu gostava de Damon, mas tinha algo que não batia. Eu queria que o Justin me convidasse para o baile. Eu passei essa madrugada toda, pensando nele. Não conseguia dormir direito. Todos os meus pensamentos sempre voltavam para ele. Eu não conseguia entender. Isso nunca aconteceu comigo. Nunca pensei tanto em um garoto, nunca me senti tão bem e feliz ao lado de alguém como me sinto com ele. Poderia parecer bobo, e na verdade era mas, eu não queria me apegar demais. Mesmo sabendo que isso, era uma missão impossivel. Eu gostava dele, mesmo tentando não transprarecer isso.
Eu gostava dele. Sabe, de verdade. Mesmo não sendo correspondida. Ou você acha, que eu não percebi os olhares dele para a Britney? E acho que mesmo depois de tudo o que ela fez, talvez ele ainda gostasse dela. Talvez até mais. Claro que ele não olharia para mim, com um sentimento além da amizade. Por que ele ficaria com uma garota estranha e simples, quando ele poderia ter uma lider de torcida e se tornar popular? Ou pelo menos, sonhar com ela. Era bem lógico, que ele escolheria ela do que eu. Por que parece que agente sempre ama a pessoa errada? Por que dizem que o amor é um sentimento tão puro, se nos faz sofrer? Por que?
[...]
Intervalo! Finalmente. Pensei. Alias, esse foi um dos únicos pensamentos que não se referiam a Justin. Espera, eu tô pensando nele de novo. Mas que droga. Esse garoto não saia da minha cabeça. Sem falar, daquele dia em que quase nos beijamos. Eu sentia raiva. Por que todas as garotas lideres de torcida, que passavam ele olhava. Tá tudo bem, olhar não arranca pedaço, mas aquilo tava de deixando bastante irritada. Na fila do lanche, e até mesmo na mesa, ele olhava para as gartoas. Mas não era um simples olhar. Ele olhava, elas de cima a baixo e mordia o lábio inferior. Caramba, eu tinha um corpo perfeito, por que ele não olhava pra mim? Puf! Caminhamos os quatro juntos, até chegarmos a parte do jardim. Quer dizer, Damon me seguiu, né? Justin ficou lá, junto a Ashley admirando aquelas táboas. Sentei na grama mesmo, sabendo que ele estava sentado ao meu lado.
– Hum... Então. Você não me respondeu na sala. Mas que queria saber... Você aceita ir ao baile comigo?- perguntou ele nervoso.
– Bom....

POV JUSTIN
E lá estava aquele cara na cola dela novamente. Sério, aquilo tá me deixando muito irritado. Por um momento de distração olhei para as lideres de torcida. As analisava de cima a baixo. Sempre as comparava á Anna Mel. Ela não chegavam aos pés dela. Mel era a garota mais linda que já vi. E foi a única garota, que fez e faz o meu coração bater tão rápido como ele bate agora. Mas de nada adiantava, se ela tava gostando do Damon. Era triste, saber que ela nunca me amaria, como eu a amo. Desde o primeiro dia em que nos vimos. Que a conheci.
– Juju, ei! Helooo! Olha para a linda maravilhosa loira que tem na sua frente. Justin!- gritava Ashley passando as mãos, na frente do meu rosto. Balancei a cabeça a encarando. Ela respirou fundo, me segurando pela mão. Me puxando dali. Paramos perto da quadra de esportes. Onde ela cruzou os braços, me encarando de sobrancelha arqueada.
– Olha aqui, garoto. Eu sou lenta pra perceber as coisas. Mas eu percebi que você tá caidinho pela Anna Mel. Desembuxa! - Falou ela batendo os pés freneticamente no chão. Respirei fundo. Eu tava torcendo pra ela não perceber. Mas que droga!
– Tá tão na cara assim?- perguntei
– Bom, tá sim. Mas é que eu notei isso agora. – eu ia rir.- nada de risadinhas! Olha por que você não diz logo pra ela o que sente? Acaba logo, com isso. Fala o que sente, e tasca um beijão nela. Agindo assim, você nunca vai saber se ela gosta de você. E além disso, toda essa coisa de amor não correspondido dá a sensasão de estarmos dentro de uma novela mexicana. Ao qual eu não sou a mais lindona maravilhosa, glamurosa atriz principal. E eu não gosto disso. Então diz logo! - dizia ela rápido. Quando eu digo que essa menina é doida, ninguém acredita.
– Dizer? Pra que? Pra ela dizer, que não me ama do mesmo jeito e que gosta do cara de olhos azuis. Fala sério garota, ela nunca vai gostar de mim. Nunca!- respondi irritado.
– Você nunca vai saber se não tentar. Ou você prefere que ela fique com o Damon, enquanto você fica a ver navios? Eu sei que sou maluca, Justin mas isso não é certo. Você precisa lutar pelo seu amor. – dizia ela. Cara, era a primeira vez que ela não agia como uma louca varrida.
– E o que você quer que eu diga? “Anna Mel, olha eu vim aqui dizer que eu te amo, e que quero que seja minha namorada”?- zombei.
– Ai ela responde: “sim Juju, eu aceito namorar com você por que eu te amo também”!- completou a loira, tentando imitar o tom de voz de Mel
– Não. O que ela vai dizer é: “Desculpa, mas eu não gosto de você além de como amigo.”- falei tentando também imitar o tom de voz dela. Doia dizer aquilo, mas era a pura verdade.
– Eu poço ajudar.- disse ela sorrindo sapeca.
– Bom, o que você acha de um jeito de saber se ela gosta de você, sem precisar se declarar?
– Bom, eu quero sim. Fala logo.- respondi ancisoso, curioso, esperançoso.
– Você vai fingir estar gostando de mim, e eu de você. É simples.- deu de ombros.
– O que? Pra que eu vou fazer isso?- perguntei agora confuso. O que ela queria dizer com isso?
– Ciúmes, Justin. Ciúmes.- sorriu sapeca. Acompanhei o sorriso.

POV ANNA
Voltamos para o refeitório. Vendo Ashley e Justin conversarem animadamente. Estão com cara de quem andou aprontando. Nos sentamos ao lado deles.
– Gente, por que estão tão animad... - falava, mas interrompi a mim mesma, quando vi os dois de mãos dadas sorrindo largamente. Me coração doeu. Espero que esteja errada.
– Ei, parece que temos um casal por aqui.- brincou Damon.- olhem os risinhos e olhares apaixonados. Não nasci para ficar de vela.- falou ele risonho. O que? Casal? Eu quero é esganar eles dois.
– Com-como assim casal? Vocês tão....
– Não Anna, nós ainda não estamos namorando se é o que está perguntando. Bom, AINDA não.- respondeu ele sorridente, me encarando. Acenti, virando a minha cabeça para o lado.
– E... Hum... Vocês... Vão ao baile juntos?- perguntei receosa. Eu não queria que a resposta fosse sim. Mas eu tinha que fingir. Fingir que não gostava dele. Agir naturalmente.
 - É, agente vai como adivinhou?- perguntou Ashley risonha. Ai que vontade de dar uns belos tabefes nessa carinha branca e maquiada.
– Tá na cara, né loira?- respondeu Damon, por mim. Debochado. Valeu pela ajuda Damon, te devo uma. Dessa vez, não teve ironia.
– E você Anna Mel, vai ir ao baile com quem?- perguntou ele. Agora eu tinha vontade de socar ele. Só por que, não sou eu no lugar de Ashley. Peguei uma maçã que tinha na mesa, e com uma faca, a parti no meio com muita força. Fazendo os três ao meu lado, arregalar os olhos e quase pular da cadeira.
– Bom, eu vou com o Damon, né lindo?- respondi, lhe dando um beijo na bochecha. Qual é eu tinha que dá uma provocadinha nele, só pra ver se ele sentia ciúmes de mim. Damon por sua vez, me olhou confuso. Afinal, eu disse a ele que iria pensaria se ia ou não com ele ao baile. Mas sorriu, sem fazer mais perguntas.
– O que? Você vai com ele?- perguntou Justin, aparentemente irritado.
– É, amor. Eles vão juntos.- disse a loira, rindo amarelo. Eu vi ela apertar forte a mão dele. Puf.
– Amor? Vocês já estão chamando um ao outro de amor?- perguntei
– É sim. Por que algum problema?- perguntou ele de sobrancelha arqueada. Eu até responderia, mas por sorte ou azar o sinal tocou. Levantei da mesa, puxando Damon pelo braço.
– Dá licença.- falei olhando eles dos pés a cabeça, saindo dali o mais rápido que pude.
[...]
Sai do banheiro, já vestida. Me joguei na cama, triste abraçando a primeira almofada que vi. Mas que droga. Por que logo a Ashley?  Só por que ela é minha amiga, e eu não posso tá chingando ela? Puf! Eu só queria ir com ele. O Justin. Mas ele vai com aquela loira de farmá.... para. Ela tá com o garoto que eu gosto, mas eu não posso chingar ela, afinal ela não sabe do que eu sinto, né? Alias, eles não sabem. Respirei fundo. Até que ouvi a campanhinha tocar.
Respirei fundo, enterrando a cara do travesseiro. E lá estava, aquela coisa me enchendo o saco. Eu queria ficar sozinha hoje. Me entupir de comida, assistir filmes melosos e chorar aqté minha mãe chegar me fazer um chocolate quente, me dar um pouco de coragem, e depois disso vou para a cama. Mas aquele inferno de campainha insistia em tocar me deixando puta da vida. Desci da cama, pisando firme até a porta. Abri a mesma, já preparando um palavrão daqueles. Mas a minha pequena furia só cresceu quando eu vi os dois loiros, parados a minha frente. De mãos dadas, e um sorriso no rosto.
– Mas que porra. Será que vocês não entendem que eu quero dormir? Se você toca a camapinha duas vezes, e ninguém atende, ou é por que a casa esta vazia, ou por que ninguém quer atender. E nesse caso, me encaixo perfeitamente na segunda opção. Caiam fora!- falei irritada, caminhando em direção ao sofá. Bufei, sentindo eles sentarem do meu lado.
– Uh ela tá bravinha.- brincou o Juju. Lhe lancei um olhar mortal, ele logo parou sua risada. Sério, parecia cena de seriado de tv.
– Olha, Anna eu já marquei a consulta no ternapeuta. Você vai comigo?- perguntou ela. Não consegui segurar, uma risadinha baixa. O jeito errado dela falar “ternapeuta” era muito engraçado.
– Ternapeuta? É terapeuta, Ashley.- corrigiu o Justin ao meu lado. Ela balançou a cabeça, positivamente.
– É, e isso também. Mas olha, nós não vinhemos só por isso.- continuou ela. Sabe ela tava, com sobretudo. O que achei estranho. Afinal, ela tava usando um sobretudo e um tenis branco.
– Espero que seja algo bem convincente. Por que hoje seria o meu dia de comer porcarias, tomar o chocolate quente da minha mãe e dormir. Então desembucha.
– Bom, é que nós vamos para o treino das lideres de torcida e....
– Perai. Você é uma lider? Sério mesmo?- perguntei confusa, curiosa e um pouquinho irritada. Ela nunca me disse que era uma lider de torcida.
– É, me desculpa gatinha esqueci de te falar. Mas é que, estão fazendo testes para novas lideres, e bom eu tenho que ir pra julgar as meninas. Eu queria que você fosse, comigo e com o Juju. O que acha?- perguntou ela sorridente.
– Eu não vou.- respondi curta e grossa. Caramba, já não basta ela ficar com ele, e ainda vou ter que ver os dois aos beijos, durante metade do caminho? Fala sério, eu não sou masoquista, obrigada.
– Vai por favor, vai ser divertido. Né lindo?- falava para Justin que acentiu sorrindo. Eles tem uma sorte, por que não ter visão de laser.
– É Anna. Vai ser divertido. – comentou ele.
– Com o que ela te subornou? – perguntei de sobrancelha arqueada.
– Eu não precisei subornar ele. Meu jeito fofo, meu rosto perfeito e meu corpo escultural o encantaram. Eu sou linda por natureza. É por isso que amo os meus pais. Ele me fizeram com muito carinho.- disse ela. A olhei estranho.
Respirei fundo. Já que ela não ia me deixar em paz mesmo, subi as escadas, me trocando. Bom se ela queria tanto que eu fosse eu iria. Mas iria mostrar para aquele garoto de óculos, o que ele estava perdendo. Pus uma roupa, que marcava bem o meu corpo. Valorizando cada curvinha. O meu propósito era fazer o Bieber II dele, despertar, e ele quase ter um ataque. Sou Brasileira, meu bem. E vou usar isso ao meu favor. Não é nenhuma Canadense palito, que ia me ultrapassar. Desci as escadas, com o meu sorriso convencido no rosto. Viu, eu não falei. Ele tava praticamente babando em mim. Me admirando dos pés a cabeça. Ele tava com aboca aberta em um O perfeito. Literalmente. Sorri falsa pra ele, e para a loira.
– Vamos logo. Não tô afim, que vocês fiquem admirando minha beleza sem fim.- falei, saindo porta a fora. Ei, não me olhe assim. Eu não tô com ciúmes. Bom, quer dizer... Só um pouquinho.
[...]
Assim que entrei na quadra quase tomei um susto. Ela tava lotada. Toda a arquibancada. Enquanto do outro lado, em um banco laranja tinha umas gatoras com uma roupa da torcida.
– Gente, eu vou ali. Podem ficar na arquibancada. Beijinhos, admirem a minha beleza e sintam a minha falta. 2 beijos.- falou ela, caminhando em direção ao grupinho do banquinho laranja. Dei de ombros, subindo as escadas, em direção a arquibancada sendo seguida por Justin. Até que, lá em cima, vi Damon sorrindo pra mim. E com a mão, fez um gesto para que eu fosse ficar com ele. E assim, fiz com Justin no meu encauço. As pessoas nos olhavam estranhamente, mas falavam comigo , como se eu fosse popular. Se bem que, na verdade eu era popular. Por que? Pelo simples fato, de eu enfrentar a capitã das lideres de torcida, por um nerd excluido. E pelo, fato de eu não dar bola para o garoto mais fodão da escola. Fred. Sentei ao seu lado, lhe abraçando e dando um beijinho em sua bochecha.
– Oi lindo. Não sabia que vinha.- falei pra ele que sorriu.
– Eu também não sabia que você vinha.- respondeu ele.
– Bom, e eu não viria, mas dois loiros foram até minha casa para me chamar.- respondi o obvio, olhando de relance para Justin. Ele por sua vez, tinha uma expressão fechada e irritada.
– Ah, oi Justin. – falou Damon, gentiu. Ou tentou. Seu tom de ironia era notável.
– Hum... Oi.- respondeu ele seco. Nossa, ele tava tão sorridente agora pouco. O que houve com esse garoto?
– Tem muitas meninas bonitas ali. – comentou Justin, depois de algum tempo sentado, se referindo as garotas que iriam fazer os testes. Cara, tá me dando vontade de bater nele. Como ele fala isso, na minha frente? Eu não tô com ciumes. Não tô com ciumes. Não tô com... AH que se foda! Eu tô sim com ciumes! Mas que merda!
– Eu já não concordo com você. Tem garotas muito mais bonitas. Tipo, tem uma bem do meu lado. - comentou Damon. Awn que lindo. Agora eu quero morder aquelas bochechas desse gostoso do meu lado esquerdo. Sorri pra ele, que retribuiu.
– Quem vai querer fazer o teste? Ainda falta uma garota.- dizia a treinadora olhando diretamente para a arquibancada. Justin não disse que ali tem meninas bonitas, quando na verdade, só tinham tábuas siliconadas? Eu vou mostrar a ele, o que é o significado da palavra “bonita”
– Eu!- falei levantando, tirando meu casaco, jogando no colo de Damon. As pessoas me encaravam estáticas, enquanto eu descia da arquibancada com um sorriso debochado na cara. Eu vou te mostrar Justin. Vou mostrar o que é ser realmente, bonita. Bonita não. Linda!


  Aqui está mais um capítulo. Espero que tenham curtido, e espero também que comentem, certo? Muitos beijos e até logo :)

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang