11 de mai de 2013

My Dear Nerd - Capítulo 16 - Beijando a Cadeira

Fanfic / Fanfiction de Justin Bieber - My Dear Nerd - Capítulo 16 - Beijando a Cadeira
POV JUSTIN
– Awn que fofura.- ouvi alguém gritar. Abri os olhos assustado, vendo uma loira. Ela estava com as mãos juntas, fazendo uma carinha fofa. Agora que eu percebi, que Ananda, Tia Rose, e minha mãe e... PERAI! Minha mãe?
– Mãe?- perguntei ainda confuso cossando olhos, por dentro do óculos.
– Oi querido. Eu vim o mais rápido que pude. Como a Mel está? -perguntou ela. Olhei na direção de Anna vendo que ela ainda dormia tranquilamente.- já acordou?
– Ainda não mãe.- respondi, ainda com o rosto apoiado na curva de seu pescoço. Sentindo aquele cheirinho tão gostoso que só ela tinha.
– Eu trouxe um sanduíche pra você comer, meu bebê.- disse ela tirando da bolça, o lache. Ouvi uma risadinha vinda de Ashley. Corei na hora.
– Mãe!- reclamei vermelho de vergonha. Escondendo o rosto, na curvinha do pescoço da Mel.
– Vamos filhote. Eu sei que você não vai querer sair de perto da sua Anna, então achei melhor trazer a comida da sua mãe. Que você tanto gosta, coração.- disse ela. Ai eu pude ouvir mais risadas vindas de Ashley aquilo já tava me deixando constrangido.
– Por que você tá rindo?- perguntei a Ashley que riu mais ainda.
– Hahahaha! Eu não entendo como o Bob Sponja, pode fritar Hamburguer de Siri dentro d’água. E ter um amigo estrela, e uma esquila Sandy Bochechas. Haaaaaaahahahahahahaha!- gargalhava ela. A encarei estranho. Eu jurava que ela tava rindo por que minha mãe tava me chamando de coração. E não por que ela tava rindo de um desenho animado. Mas espera, que graça tem isso? Essa menina é doida, isso é um fato incontestável.
– Então querido, vai comer o seu lanchinho?- perguntou minha mãe, ainda olhando estranho para a loira que gargalhava ao seu lado.
– Não pode comer nada no quarto, sem uma permissão médica mãe. – respondi, abraçando ainda mais a minha garota.
– Você não vai comer nada? Você precisa se alimentar.- dizia minha mãe.
– Não se preocupe, moça ruivinha. Ele vai comer sim. Eu levo ele, sem problemas.- falou Ananda, para minha mãe. Arregalei os olhos, sentando na cama.
– O que? Eu não posso deixar a Anna sozinha.- argumentei
– Ela não está sozinha. Venha você precisa comer.- disse ela. Me puxando pela mão, para fora do quarto.
– O que você está fazendo?- perguntei confuso, enquanto ela me arrastava pelo corredor.
– Eu quero que você se alimente. Apenas isso. Será que é tão difícil de entender isso, garoto? Você é lento hein?- dizia ela. Até que finalmente chegamos a uma lanchonete. Me sentei em uma das cadeiras, enquanto Ananda fazia os pedidos. Eu não tava me sentindo nem um pouco bem ao lado daquela garota. Eu não sei bem, mas ela não me transmitia segurança. Como Ashley fazia. Por que eu sabia, por mais doida que ela fosse, ela não tinha maldade. Era bobinha, e inocente. Mais do que eu até.
– Aqui estão os pedidos. Pode comer.- disse Ananda. Eu a olhei desconfiado, tornando minha atenção para a bandeja a minha frente. Minha barriga roncou. Respirei fundo, comendo aquele lanche que agora, me parecia tão delicioso. Eu sentia o olhar de Ananda sobre mim, mas resolvi não encará-la olhos nos olhos.
– Hum... Você gosta mesmo da minha prima?- perguntou ela. Iniciando uma conversa, ao qual eu sempre quis adiar.
– Sim. Eu a amo. – respondi, dando um sorriso bobo ao lembrar da minha Anna. E do dia em que nos conhecemos. Dia bem engraçado, e inesquecível por sinal.
– Hum... E faz muito tempo que vocês estão juntos?- continuou ela. Respirei fundo finalmente a encarando.
– Faz algum tempo. Mas por que esta fazendo essas perguntas?
– Você gosta de garotas que tem olhos azuis? E mais velhas que você?- perguntou ela, em disparada. Arregalei os olhos, vendo ela ficar muito perto de mim. Muito mesmo. Engoli a seco.
– Bom depende, mas por que está pergun....- eu tentava falar, mas ela me interrompeu, chegando perto mesmo de mim. Quase que sentando no meu colo.
– Depende do que? Será que eu vou precisar tomar as redias da situação, para você entender o que eu quero?- dizia ela no meu ouvido. Sedutora.
– Co-co-como assim? O que você quer dizer com isso?- gaguejei um pouco assustado. Ananda pegou em uma das minhas mãos que estavam, apoiadas sobre a mesa. Ela tava com o rosto muito perto do meu. O que era muito perigoso. Qualquer deslize e pluft! Minha felicidade vai por água a baixo.
– Eu quero isso.- disse ela, fechando os olhos aproximando seu rosto ainda mais do meu. Nervoso, sabendo o que ela queria, levantei rápido. Fazendo ela beijar a cadeira. Eu queria rir disso. E até riria, se isso não fosse comigo.
– Bo-bo-bom eu tenho que ir. Agente se vê um dia. Tchau.- falei depressa, saindo do local o mais rápido possível.
Meu Deus, o que é que essa menina tem na cabeça? Caramba, eu sou o namorado da prima dela. Se ela não gosta da minha Anna tudo bem mas, ao menos respeitava o namorado dela, né? Ainda bem que me afastei a tempo. Antes que ela me beijasse, e meu lindo futuro junto a Anna iria para o buraco. Caminhei rápido, com medo de que aquela garota dos olhos azuis, me alcançasse. Andei mais rápido, entrando no quarto.
Fiquei de olhos arregalados, ao ver quem estava no quarto. Dou um beijo meu pra quem adivinhar. Quem disse que era Damon, acertou em cheio. Ela tava sentado na cama, conversando animadamente com Anna Mel. Viu? Era por isso que eu não queria, sair de perto dela. Pra quando ela acordar, ser eu o primeiro que ela ver, falar e conversar. E não esse bundão do Damon. Sem falar, tinham apenas Ashley, Anna e Damon o quarto. Conversando e rindo, animadamente. Minha vontade era de socar aquele cara.
– Você vai ficar ai parado, ou vai vir me abraçar?- a voz de Anna me despertou dos meus pensamentos um pouco assassinos. Caminhei sorridente até ela, lhe abraçando fortemente.

POV ANANDA
Mas que droga! Que garoto idiota. Esse imbecil me fez beijar a porcaria da cadeira. Certo. Eu não queria ele. Eu nunca achei ele bonito. Anna que é uma burra por querer ele. Ele é tão.... nerd. Como ela tem corajem de namorar ele? Fala sério, Anna é bonita demais, para ter um namorado como ele.
Mas eu só queria mesmo, acabar com esse namoro ridículo. Ela sempre teve tudo, e eu nada. Mas eu não vou deixar ela ser feliz. Eu sei que ela me odeia, e faz de tudo para que eu me dê mal. Mas ela que se prepare. Por que desta vez, eu não vou descansar até conseguir o que quero. Anna Mel que me aguarde.
[...]
POV ANNA
– Vamos logo, querida. – dizia minha mãe, me apressando. Sai do banheiro já vestida. Vendo os outros me esperarem no quarto.
– Vamos, querida. Que você ainda vai ter que deixar, o caderno em dia. - avisou-me ela, apressada. Bufei, só de pensar em atividades, cálculos e matemática.
– Tá, calma. Só deixa eu amarar os cadarços. – respondi, deixando a bolsa no chão.
– Deixa que eu amarro pra você.- falou Juju gentil. Ajoelhando-se na minha frente, amarrando meu cadarço. Sorri agradecida. Lhe dando um selinho, quando ele já estava de pé.
– Obrigada.- sorri.
– Por nada, anjo.- respondeu sorridente, me dando outro selinho. Sorri.
– Vamos pessoal. Obrigada doutor que eu não lembro o nome.- dizia minha mãe, encarando o médico de cima a baixo. Que safada! Ela tava secando o carinha.
– Meu nome é Himineu Casamenticio das Dores Conjugais.- respondeu ele. Fiquei com uma interrogação enorme na cara. Que mulesta é essa? Quem bota um nome desses numa criança? Eu nem sei como ele sabe pronunciar no nome completo.
– Er... Obrigada doutor... Hum... Ah deixa pra lá.- falou mamãe, finalmente desistindo de pronunciar o nome do médico, que por sinal era um gato.
– Vamos crianças.- continuou ela.
– Não somos crianças!- falamos eu, Ashley, Justin, e Ananda a mesmo tempo. Protestando. Eu não sou criança. Hum!
[...]
Mas um dia de uma droga de escola. Minha sorte, foi que Justin deixou meu caderno em dia, enquanto eu estava dormindo no hospital. Descobri que eu bati a cabeça na banheira e desmaiei. Se não fosse pelo Juju, a esta hora estaria em um caixão. Desci as escadas com pressa, chegando rápido a cozinha.
– Oi querida. Está linda, meu bem.- falou mamãe sorrindo para mim, analisando minha roupa Sorri em troca, pegando uma maçã.
– Obrigada. Onde está Ananda?
– Está no quarto. Bom dia na escola querida.- respondeu ela. Me deixando um delicado beijo na testa.
– Obrigada mamãe.- sorri doce.
[...]
– Annaaaaaa!- gritou Ashley do banheiro. Corri até ela, vendo a mesma segurar alguns produtos na mão de frente ao espelho.
– Estou bonita?- perguntou ela dando uma voltinha. Era a primeira vez, ao menos que eu me lembro que ela não usava nada rosa. Sorri vendo que ela estava realmente linda. O azul lhe caia muito bem.
– Está linda. O azul lhe cai melhor que rosa. Você com certeza será a miss da cidade.- sorri para ela. Que me deu um abraço de urso. Ainda preciso saber como respirar, quando ela me abraça. Se é que me entendem.
– Obrigada você também está linda.- disse ela. Sorri agradecida.
– Mas me diga, que sombra fica melhor?- perguntou ela. Eu ri.
– Essa aqui.- falei apontando para uma delas. - saí do quarto, vendo Ananda sentada na cama. Vestindo tudo vermelho muito curto. A encarei estranha, ficando a sua frente de braços cruzados.
– Por que está vestida assim? O que está fazendo aqui?- perguntei confusa. Ela sorriu debochada.
– Eu vou com vocês, 'priminha querida'. – respondeu ela com um sorrisinho debochado.

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang