11 de mai de 2013

My Dear Nerd - Capítulo 13 - Armário do Zelador

Fanfic / Fanfiction de Justin Bieber - My Dear Nerd - Capítulo 13 - Armário do Zelador

POV JUSTIN
Outro dia, outra luta. Mas que droga. De vez em quando eu desejava não ter escola. Mas hoje em dia, eu fico ansioso só para ver a minha garota. A minha namorada. Bom, era novo para mim, dizer para as pessoas que eu tinha uma pessoa que me amava de verdade. Que eu tinha uma namorada. Sabe, a minha família toda ficou sabendo que eu tinha estava namorando. E adivinhem quem contou isso. Minha mãe. Pois é, algumas horas depois do baile levei Anna para casa. Apresentando-a a minha mãe como minha namorada. Bom, ela reagiu como Ashley. Gritou, rodou, ficou rouca e fez um bolo para comemorar.
Bom no outro dia, toda a minha família já sabia sobre o meu namoro. Outro ponto que também preciso resaltar, é que Frad dava em cima da minha garota sempre que podia. Mas que coisa. Sem falar daquela garota de olhos extremamente azuis, e cabelos negros e longos. Ela era realmente linda, isso era um fato. Ela era muito linda, e parecia que isso estava incomodando a minha garota. Eu sentia isso, mas ela parecia não querer falar. Mas apenas por saber que a encontraria hoje, era maravilhoso. Sorri finalmente entrando na escola.
[...]
Já era a terceira aula, e nada da Anna Mel. Ela ia fazer essa aula junto comigo, mas até agora ela não apareceu. Eu já tava ficando preocupado com ela. Que demora era essa? Acho melhor economizar o dinheiro do lanche, para comprar um celular, se alguma coisa como essa acontecer. Cadê essa menina? Eu encarava o relógio a cada, 5 minutos. Sem falar que a porta era o meu alvo de hoje. Eu mexia meus pés freneticamente, batendo o lápis contra a mesa. Nervoso. Preocupado. O tempo passava, passava e passava. Mais nada dela aparecer. Espero que ela esteja bem, e que só esteja matando aula. Pensava eu. Que ajeitava os óculos constantemente. Até que a porta da sala se abre, me fazendo encará-la vendo passar por ela o ser que eu mais amo no mundo.
Ela para minha surpresa não parecia nem um pouco feliz. Caminhou até o professor, lhe estendendo um papelzinho. O mesmo, o analisou e assentiu positivamente com a cabeça. Ela caminhou até a onde eu estava, jogando os livros com certa brutalidade na mesa ao meu lado. Sentou na mesma, bufando.
– Onde você estava? Fiquei preocupado, minha linda.- falei doce lhe dando um beijo na bochecha. Chega me deu um alívio por saber que, a minha garota estava bem. Uma nota mental: Eu preciso de um celular. Ela me encarou com cara de poucos amigos.
– Oi pra você também.- respondeu meio seca. Virou o rosto novamente para o quadro negro, respirando fundo. Espera. Eu fiz ou falei algo errado? Por que ela tá tão brava assim? Será ela não me ama mais?
– Eu fiz algo errado, meu anjo?- perguntei receoso, mordendo os lábios. Ouvi Anna suspirar, ao meu lado tornando a me encarar.
– Por que tá fazendo essa pergunta? Eu to normal, Ok? Normal!- respondeu ela. A encarei com medo. Não, algo está errado. Ela não é grossa assim. Não é.
[...]
Intervalo. Finalmente. Anna me arrastava pela mão, pelos corredores da escola, apressada. A puxei para mim, segurando firmemente em sua cintura, fazendo-a parar e me encarar.
– Me diga, o que está havendo. Você não é assim. Fala pra mim, por favor.- disse doce, mas ao mesmo tempo firme. Vendo ela me encarar olho no olho.
– Então me siga.- respondeu ela. E lá estávamos nós, andando rapidamente pelos corredores. Abriu a porta do armário do zelador. Entramos, no mesmo enquanto a via trancar a porta e me jogar em um sofá velho que lá tinha.
– Como conseguiu a chave? O que está havendo, Anna? Por que estamos aqui?- disparei em perguntas. Quando percebi ela já estava sentada em cima de mim. Bom, em cima do meu Bieber II, para ser mais exato. E caramba, aquele short curto não tava ajudando. Se é que me entende.
– Não importa como eu consegui. O que importa agora, é que eu preciso de você. Do seu beijo, e do seu corpo. Agora. – respondeu ela, sem mais delongas.
Logo senti seus lábios nos meus, em um beijo voraz e cheio de desejo. Eu claro, correspondi de imediato. O que é? Eu tava com saudade dela. Passei a noite inteira pensando nela, caramba. Abracei sua cintura, enquanto nossas línguas travavam uma guerra dentro de nossas bocas. Era um jogo sensual. Sim, ela parecia sedenta. Insaciável. Ela me beijava como se não houvesse amanhã, enquanto rebolava em cima do meu membro me provocando. Desci minhas mãos por suas costas, parando em seu bumbum. Dando ali um apertão, fazendo-a arfar durante o beijo.
Partimos o beijo, a prorcura de ar. Logo senti os lábios quentes de Anna Mel, em contado com a pele do meu pescoço. Eu sentia que o meu Bieber II tava cada vez mais crescendo dentro da minha boxer. A vontade de estar dentro dela, me movimentando, fazendo-a sentir prazer, era sem dúvidas, enorme. Anna sabia muito bem provocar um homem. Com as mãos, pegou as minhas, as trazendo para seus seios. Me fazendo aperta-los. Respirei fundo, mordendo com força os lábios. Seus seios eram tão cheios, e pareciam ser apetitosos. O rastro de seus beijos, foi descendo e subindo. Até ela novamente me beijar. Sua lingua, brincava com a minha sensual. Minhas mãos, que antes brincavam com seu bumbum, avantajado agora foram para suas coxas.
Dando ali, apertos. Suas mãos pequeninas, rumaram para dentro do meu suéter, arranhando meu peitoral. Provocando um arrepio, fazendo-a rir marota. Mal percebi, quando ela tirou meu suéter, e arranhou com as unhas vermelhas meu peito. Arfei. Interrompeu o beijo, dando atenção agora para meu peito. Deixou ali, mordidinhas, arranhões, e quepenos chupões. A puxei pelo braço para cima, tomando novamente seus lábios. Com os corpos colados, senti Anna descer suas mãos para meu Bieber II. O apertando por cima da calça.
Repreendi um gemido, mordendo os lábios com muita força. Aquilo já tava me deixando completamente louco. Parei o beijo, respirando fundo e rápido. Meu coração batia descompassado, quase saindo pela minha boca. Segurei-a pelos braços, forçando-a para olhar pra mim.
– O que houve? Fiz algo errado?- perguntou ela confusa. Suspirei, balançando a cabeça.
– Eu é quem deveria fazer essa pergunta. Você demorou, chegou irritada me tratando mau. E agora, você quer fazer “coisinhas”? me diz o que está havendo.- respondi firme. A vi suspirar.
– Me desculpe, lindo. Mas é que, depois que você foi embora, a Ananda dormiu no meu quarto. Por isso, tive que dormir no sofá. Depois, que eu tava me arrumando para a escola, tive que fazer o café dela, e arrumar o quarto. Estou exausta, me desculpe, eu não queria ter feito isso. Eu amo você, me perdoe por favor. Mas é que ela me tira toda a paciencia que me restava. - respondeu ela doce. Soltei seus braços, aos poucos, sentindo suas mãos pequeninas em meu rosto.O acariciando. Sorri lhe dando um doce selinho em seus lábios.
– Tudo bem minha linda. Eu nunca consigo ficar bravo com você. Eu te amo tanto, sabia?- disse em resposta, abraçando-a. Senti Anna depositar alguns doces beijinhos, na curva do meu pescoço. Sorri com isso.
– Eu também te amo, lindo. Me desculpa, tá?
– Claro meu anjo. Mas não me deixa mais preocupado assim, ok?- comentei dando um beijinho em seus cabelos. Ela acentiu positivamente.
– Ok. – respondeu.
- Hum... Juju?
– Oi? - a encarei, acariciando seus cabelos negros e macios.
– Me deixa eu aliviar, você?- perguntou ela. Desci meu olhar, até o meu Bieber II. Pois, é. Lá estava ele, fazendo um volume em minha calça. Senti minhas bochechas ficarem vermelhas, de vergonha.
– O qu-qu-que? Eu não tô exitado.- respondi gagejando, ouvindo ela rir.
– Está sim. Você não pode sair daqui assim. Vamos, você vai gostar eu garanto.- sorriu ela. Suspirei acentindo positivamente.
– Tudo bem, tudo bem. Mas vai com calma, eu nunca fiz esse tipo de coisa. E se eu fizer algo errado?- perguntei aflito. Anna sorriu largo, me dando um beijo na bochecha.
– Pode ficar tranquilo. Você vai gostar eu garanto. Só relaxa, Ok?- disse ela. Descendo do meu colo, tirando com facilidade minha calça. Mordeu os lábios, sorrindo marota.

POV ANNA
Nossa, aquela boxer vermelha era extremamente sexy. Principalmente aquele volume tão exitante, me deixou molhada, confesso. Passei minhas mãos, por cima da boxer ouvindo ele arfar. Sem mais delongas retirei a box, tendo a visão do paraiso. Aquela coisinha grande, grossa e dura ali, implorando para ser aliviada. Suas veias, estavam grossas e Justin muito tenso. Peguei o seu Bieberconda pela base, o apertando.
– Oh! Meu Deus.- resmungou ele, fechando os olhos. Com a cabeça curvada para trás. Passei a lingua por toda a extensão de seu membro, o deixando bem molhadinho. Assim, iniciei os movimentos de vai e vem. Encarando aquela coisa tão linda, de cabecinha rosinha e rebondinha. Chupei apenas a cabecinha, enquanto fazia rápidos movimentos com as mãos.
– Oh! Céus!- gemeu ele baixinho. E com as mãos, me ajudou com os movimentos, fazendo em meus cabelos, um rabo de cavalo. Minha boca, foi deslizando por sua Bieberconda. Engolindo-a completamente. Agora com a boca, iniciei os movimentos de vai e vem. Ouvindo grunidos, e gemidos baixo vindo de Justin. Enquanto minha boca, fazia seu pequeno trabalhinho, minhas mãos rumaram para seus testiculos. Os acriciando.
– Own, isso é muito bom. Isso meu anjo, continua por favor. Own.- gemeu o meu nerd, baixinho de olhos fechados.
Fui mais rápida com os movimentos, chupando toda a extensão de seu membro. Que chegava a minha garganta. Continuei o que estava fazendo, enquanto ele movia os quadris para frente e para trás. Respirando fundo. Até que senti algo, quente em minha boca. Seguido de um gemido um pouco mais alto. Continuei com a boca em seu membro, bebendo todo o seu liquido tão delicioso. Justin tinha um gosto maravilhoso. Um gosto ao qual nunca provei antes. Justin era especial de todas as maneiras. E era só meu. Retirei seu membro de minha boca, encarando seu rosto. Vendo ali, ele respirar fundo e descompassado. Sorri, sentando ao seu lado apoiando minha cabeça novamente na curva, de seu pescoço.
– Então o que achou? Foi bom?- perguntei doce, acariciando seu braço.
– Muito bom, meu anjo. Eu nunca senti isso antes. Obrigada. Foi realmente maravilhoso.- respondeu ele, me beijando a bochecha.
– E vai sentir mais veses, eu garanto. É bom saber que gostou.
– Eu amo você.- disse ele
– Eu também amo você meu lindo. Muito. – respondi, o abraçando mais forte. Sentindo ele retribuir.
– Eu te amo mais. Mutio mais.- falou ele, deixando um beijinho doce, em minha testa.
[...]
Cheguei em casa, junto a Justin e Ashley. Entramos na casa, jogando nossas bolças no sofá. Sentamos juntos. Sorrindo.
– Gente, eu sei que eu sou linda, né? Bom e é por isso, que vocês irão me acompanhar no desfile. – dizia Ashley.
– Ah não. De jeito nenhum, eu não vou acompanhar você em nenhum concurso de Miss Ashley. Isso é tão chato. – retruquei, sentando no colo do Juju. Que por sua vez, abraçou minha cintura, deixando um beijinho estalado em minha bochecha.
– Qual é galera? Vamos por favor! Eu passei quase que o ano inteiro, tentando escolher um vestido beeeeem lindão como eu, para vencer aquelas garotas tão feias, de peles e cabelos desidratados. Apesar de ser linda, preciso de uma torcida gente. Vamos por favor. Eu prometo parar de atazanar vocês, por uma semana. Vai, vai, vai, vai, vai, vai, vai, vai, vai.... – dizia a loira berrante. Eu ri dela, por alguns meros instantes.
– Tá, tá, tá. Para de falar, nós vamos Ok? Agora para.- respondi risonha, vendo ela sorrir largo.
– Nós vamos? Tem certeza, amor?- perguntou Justin confuso. Ri ainda mais, acentindo com a cabeça.
– Sim nós vamos. - Respondi risonha.
– Acho que eu também devo entrar nessa conversa.- disse uma voz atrás de nós. Virei para ver melhor, dando de cara com um ser de olhos azuis sorrindo debochado. Respirei fundo.

Aqui está mais um. Até o próximo. Beijos :)

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang