23 de mai de 2013

My Dear Nerd - Capítulo 30 - Battlefield

Fanfic / Fanfiction de Justin Bieber - My Dear Nerd - Capítulo 30 - Battlefield

POV ANNA
– Hum... Er... T-tá.- gaguejou ele sentando ao meu lado. Já que não havia mais lugar. Eu não creio que aquela vaca loira fez isso de propósito. Eu vou arrancar cada fiozinho loiro de cabelo dela.
– Hum. Então poquê cê tá com essa ropa de antix?- continuou ela de boca cheia o analisando. É mesmo, eu nem tinha reparado na roupa dele. Que era uma blusa de de botões por baixo. Um suéter por cima da camisa de botões, calça social e sapatos “engomadinhos”. Além de seu óculos extra grande de sempre. Porque ele tava vestido assim?
– Algumas coisas.- respondeu ele. Apesar de encarar minhas unhas, enquanto Ashley falava com o garçom, eu sentia o olhar de Justin em mim o que era um pouco tenso. Respirei fundo, enquanto em nossa mesa, reinava o silêncio absoluto. Ou quase isso, já que a loira comia com a boca cheia e paquerava os garotos que passavam perto dela. Acho que ela não tinha notado, que tava pagando mico, né?
– Ei gatxo! Me liga!- dizia ela pra um garoto de boca cheia. Ele fez uma cara de nojo, enquanto ela achava que tava abalando.
– Aqui está os seus pedi... Nossa!- falou o garçom assustado, olhando pra Ashley. Ela o encarou confusa, enquanto isso, nós três riamos baixinho daquela bobalinha da Ashley.
– O té foi?- continuou ela, pondo mais uma batata na boca. Nossa, nem sei como coube mais uma ali.
– Nossa. - continuou ela. Parecia estar paralisado, encarando a loira.
– Ei! Carinha! O nosso pedido. Alôo.- falei chamando finalmente a atenção dele. Que por sua vez, balançou a cabeça para os lados, deixando tudo na mesa.
– Perdão e com licença.- disse ele, saindo enquanto nós três caíamos na gargalhada.
– Do que vocês estão rindo? Ele me acho extremamente linda, não teve como negar. Comentou ela, já com a boca livre.
– Nada. Nada. – respondeu Damon, prendendo o riso.
– Ok, eu vou falar. Ashley, você tava falando com eles de boca aberta, e seu dente tá sujo de batata... Você não sabe comer direito, não garota? – falei, arregalando os olhos em seguida.
– AHHHH!- gritou ela, saindo rápido da mesa. Seguindo apressada em direção ao banheiro. Assim que Ashley e seu escândalo, estavam longe da mesa, o silêncio reinou. O que era um pouco chato devo dizer. Eu não olhava pra Justin. Justin não olhava pra Damon.
E Damon não olhava pra Justin e pra mim, encarando o prato á sua frente enquanto comia silenciosamente. Eu não tinha nenhum assunto pra falar. Sem contar que não me sentia á vontade, com o meu ex ao meu lado. Era meio estranho, eu sentia certas vezes ele me olhar mas eu não tinha coragem de fazer o mesmo, como nada tivesse acontecido. Era uma situação desconfortável. Mutio desconfortável.
– Hum... Eu vou ali eu já volto. – falei para os rapazes, levantando da cadeira. Caminhei um pouco rápido até o banheiro vendo Ashley encarar seu refléxo no espelho, curiosa. Pus a mão na cintura, com as sobrancelhas arqueadas. Áh! Aquela vaca loira ia me pagar. Á se ia. E como ia.
– Ora, ora. Ashley como você fez isso?- perguntei. Ela virou no mesmo tinstante para me encarare quase cai pra trás. Que danado era aquilo?
– Oi, flor. Do que você tá falando?- perguntou ela.
– O que é isso no seu rosto?
– Ah, é que eu borrei o rímel, quando eu chorei pelo mico que paguei. Mas do que você tava falando?- perguntou ela.
– Como você convidou ele pra almoçar com agente? Você sabe que eu não consigo mais ficar, á vontade como antes sua vaca loira. Eu vou te esganar! Ah!- gritei correndo até ela. Ela também gritou, correndo pelo banheiro. Fiz o mesmo, correndo que nem uma condenada atrás dela. Ashley correu até a porta, tentando abri-la e sair do banheiro. A segurei pela cintura, enquanto ela segurava a maçaneta com as duas mãos. Fiz mais força, quase erguendo ela no chão. Ela não ia fugir de uns bons tabefes.
– ME SOLTA. ME LARGA. SOCORRO!- gritava ela desesperada.
– Não solto. Não solto. Não solto!- gritei em resposta. Caramba essa gorda é pesada. Eu jurava que o peso de Ashley era o famoso “peso pena”.
– ANNA MEL ME SOLTA! AHHH!- continuou ela com os gritos. Tinha quase certeza que, as pessoas do lado de fora estariam escutando. Mas que se danem elas. Eu tinha que aplicar um corretivo nessa loira descabelada.
– Nada disso, sua mini vaca pesada! Ah!- gritei, escorregando. Caindo de bumbum no chão, com o peso de Ashley sobre mim.
– AHHHHHH!- gritava a loira, mas mesmo caida a segurei firme pela cintura. Rolamos no chão, comigo por cima. Sentei em cima de sua barriga, enquanto ela segurava minhas mãos.
– Para de se debater, Ashley!- eu dizia com dificuldades.
– O que você vai fazer comigo?- continuava ela tentando sair do meu controle.
– Vou te dar uns corretivos, por tentar dar uma de cupido pra cima de mim. – respondi, tentando inutilmente tirar minhas mãos das suas.
– Me desculpa. Mas é que você e o Juju ficam muito fofinhos juntinhos. E ele falava o tempo todo sobre você, e até coizinhas das nojentas que vocês faziam. Claro, de uma forma Jujubadamente romântica, mas ainda sim nojentas. .- fez cara de nojo na última frase.
– Que “Coizinhas nojentas sobre nós” é essa?- perguntei confusa relaxando a mão.
– Bom, foi no niver dele. Á noite... Madrugada e metade da manhã... Roupas espalhadas pelo lugar, vocês suados e descabelados... Acho que não preciso continuar, né? Isso me dá nauseas.- continuou ela. Fiquei vermelha no mesmo instante. Muito vermelha. Sério, eu não tava acreditando que ele contou pra ela, sobre a nossa noite em seu aniversário. Eu bateira no bumbum dele, seu ainda tivessemos algo. Mas como nem amizade temos, acho melhor estapear o bumbum dele em pensamentos.
– Hehehehe. Eu sou maligna! Agora eu sei como te deixar vermelhinha hehehehe. – ria a louca varrida da loira á baixo de mim.
– Eu vou te bater muito sua varrida! – gritei livrando minhas mãos do controle das dela. Mas justamente no momento em que eu ia ultilizar do meu plano de vingança, alguém entra no banheiro nos olhando muito. Mais muito estranho mesmo.
– O que vocês estão fazendo ai, no chão?- perguntou a mulher. Eu logo sai de cima de Ashley enquanto ela fazia o mesmo, indo em direção ao espelho.
– AH SUA VACA LOUCA! VOCÊ ACABOU COM O MEU CABELO! AH!- gritou ela desesperada. Ri dela. Ou quase isso.
– O que estavam fazendo deitadas no chão?- continuou a mulher, nos olhando estranho. Eu hein. Não me olha assim. Olha só como as pessoas, tem a mente poluída?
– Nada. Eu só queria bater nela, por tentar dar uma de cupido. Ela quer que eu volte com o meu ex-namorado. Ai eu queria só dar uns bons catiripapos nela, mesmo. – respondi dando de ombros. Dei uma arrumada rápida no cabelo.
– Vamos logo Ashley.- falei saindo em seguida do banheiro. Caminhei até a mesa, como se não tivesse tentado dar uns catiripapos na loira, adquirindo os olhares de Justin e Damon pra mim.
– Que gritaria era aquela no banheiro?- perguntou Damon.
– Hum, nada. Só duas brigando por bobagens. Quem briga por bobagens? – respondi nervosa.
– Tem certeza? Você está bem?- perguntou Justin desta vez me encarando. Acenti sentando ao seu lado, como antes.
– Claro. Vamos comer?- menti ainda nervosa. Eles acentiram, aparentemente acreditando em minha mentira mentirosa. Hehe.
[...]
– Espera, para onde estamos indo? Pra onde estão me levando?- perguntei confusa.
– Você tá com um biquini por debaixo da roupa, e trouxe tudo o que eu pedi? – perguntou a loira. Acenti dando uma voltinha para que ela avaliasse minha roupa. O que acho que foi um ponto positivo.
– Está perfeita amiga. Viu só Damon? Eu avisei que seira bem legal prazer todo mundo aqui, depois do almoço.- comentou a loira.
– “Aqui” aonde? – perguntei ainda confusa. Mas o que é que está acontecendo aqui?
– Bom, sua mãe que tem um lindérrimo cabelo por sinal, me contou que você gosta muito de praia e essas coisas. Estou certa?- perguntou ela.
– Sim, eu gosto. Mas ainda não entendi. Onde quer chegar com isso?- perguntei confusa. Vendo a loira sorrir papeca.
– Bom, nós não temos uma praia aqui. Mas acho que isso resolve. – respondeu ela, junto á Damon e Justin, continuando a caminhar. Os segui, dando de cara com uma das coisas mais lindas que já vi. Uma bela cachoeira. A água era cristalina, o que fazia a queda d’água ser ainda mais espetacular. Era um lugar lindo, realmente. Eu nuna tinha visto isso antes.
– Então o que achou? Foi o Juju que escolheu.- comentou Ashley. Encarei Justin, no mesmo instante, vendo que ele catucou a loira. Constrangido. Muito vermelhinho. Era até fofo. Ok, pare já com isso, Anna. Alertou meu cérebro.
– Ashley não fala isso.- sussurrou ele para a loira, que deu de ombros.
– Tudo bem, Justin. É um lugar lindo. Fico suspresa por lembrar do que eu gosto, ainda.- falei á ele pela primeira vez, em dias. Ele me encarou, de imediato.
– Mas eu lembro. Eu sei que ainda não acabou. – rebateu ele firme. Arqueei a sobrancelha, cruzando os braços.
– Ah é? Você acha mesmo? Tipo, que ainda vamos voltar? Não acredite muito nisso.- rebati.
– O que gente que me ama, o que acham de um pequenique? – perguntou Ashley tentando cortar todo aquele clima tenso, que se formou entre nós.
– Pequenique? Então já vinheram preparados? E não me contaram nada?- perguntei de sobrancelha arqueada.
– Você pensa demais, Anna. – comentou Damon, também irônico arregalando levemente os olhos. O deixando com aquela pose de badboy sexy. Suspirei boba.
[...]
– Vocês souberam do baile que a escola vai dar?- perguntou a loira, após mastigar um belo sanduíche feito por Muá! Notaram meu péssimo francês? Pisé. Se é que isso é francês. Acho que levei ao pé da pronuncia, né? É.
– Não. – respondeu Damon.
– Bom, vai ser bem legal. E ah, Anna florzinha nós temos que ensaiar amanhã com as garotas do time. O campeonato estadual, é daqui á alguns dias. – completou ela, acenti.
– Ok. No dia, você passa na minha casa, e agente vai.- respondi vendo ela acentir.
– Ok florzinha. Agora vamos pra água, que vocês tem que admirar minha beleza avassaladora. – falou a loira. Pude notar, os rapazes revirarem os olhos.
– Nossa gente. Se animem. Eu deixo vocês me admirarem.- disse ela, tirando a roupa. Ficando apenas com o biquini estremamente rosa que usava.
– Ah! Damon lindão, queeeero te mostrar uma coisa.- falou a loira, o puxando pelo pulso pra bem longe. Mas que droga, ela tava dando uma de cupido de novo. Dessa vez, eu bato nela. Bato mesmo. O silêncio reinou no local. Estavamos apenas eu e Justin sentados. Um a frente do outro. Ouvindo apenas a queda d’água, e o canto dos passarinhos. Suspirei, encarando a cachoeira. Eu podia sentir ele olhar pra mim. Mas eu não tinha mais coragem de fazer o mesmo. Mas que droga!
Ouçam Jordin Sparks - Battlefield
Criei coragem, levantando. Tirando a roupa em seguida, ficando apenas com o biquini. Deixando as roupas, em cima da minha bolsa. Caminhei até a água, dando um mergulho. Aquilo era muito bom. Claro que não era uma praia, com aquele sol bem quente e delicioso. Mas dava pra finjir, né? Retornei a superfície, respirando fundo. Acho que fiquei tempo demais, lá em baixo. Aprumei melhor os cabelos, olhando para Justin. Ele ainda me encarava, agora sem camisa. O que me deixou, um pocuo irritada.
– O que você tanto olha? Qual é a sua? - falei alto. O vi levantar, e entrar na água. Ficando frente á frente comigo. Engoli á seco. Não gosto dessa proximidade. Isso vai dar em merda.
– Qual é a minha? Quantas vezes, eu vou precisar dizer que aquela porcaria de video não é meu? Quantas vezes, vou ter que falar que te amo mais que a mim mesmo? Quantas noites, vou precisar chorar, pra você finalmente entender que é apenas você que quero e amo? Quantas vezes vou precisar fazer isso, Anna? Quantas?- respondeu ele em forma de pergunta. Dei um passo para trás. Balancei a cabeça, confusa. Mas ainda sim, ele fez questão de se aproximar e segurar firmemente minha cintura. Colando nossos corpos. Ai que frio na barriga.
– Nenhuma. Pois eu não quero me machucar de novo, Justin. Você gostaria que eu olhasse pro corpo de outros garotos e os paquerasse na sua frente? É claro que não.
– Anna, eu...
– Me deixa em paz. Quero distância de você, e tudo que me faça lembrar esse seu sorriso lindo. Porque eu sei, que lá no fundo eu ainda te amo, e vou me arrepender no mesmo instante de ter acabado com tudo.
– Não fala assim. Isso me machuca tanto. Volta pra mim. Eu sei que fui um completo idiota. Mas eu sei que posso te fazer a mulher mais feliz do mundo, meu amor. Ninguém te conhece tão bem quanto eu. Ninguém, te beija como eu beijo. Ninguém vai te amar mais do que eu. Ninguém. - respondeu ele me olhando no fundo dos olhos. Apertando ainda mais minha cintura. Pus a mão em seu ombro, em uma tentativa de me afastar. Falha.
– Me solta, por favor.- falei meio assustada. Era muita proximidade.
– Não, eu não vou. Eu te amo demais. Por favor, ao menos pense no que eu disse. Por favor.- continuou ele. Respirei fundo.
– Ok. Eu penso. Mas me solta, Justin.- rebati ouvindo e vendo ele suspirar.
– Porque insiste em ficar longe de mim?
– Porque... - ele mau me deu chances de responder. Tomando meus lábios, pedindo passagem com lingua. Cedi sem ao menos pensar duas vezes. Abraçando sua nuca, colando ainda mais nossos corpos. Nossa. Que saudade eu sentia do seu beijo. De seu corpo perto assim do meu. Das suas caricias, em minha cintura enquanto a segurava possessivamente com fazia agora. Nossas linguas, brincavam doces dentro de nossas bocas cheias de saudades uma da outra.
Era um momento extremamente mágico pra mim. Apesar de tudo o que ele fez, se ele me pedisse pra voltar, eu o aceitaria sem pensar duas vezes. A quem eu quero enganar? Ele é o amor da minha vida. Durante esses dias, nunca parei de pensar nele, um segundo sequer. Sofro todas as noites, sonhando com o seu sorriso, e seus lábios juntos aos meus. Enrolei as pernas, em sua cintura parando por um tempo o beijo. Respirando fundo, descompassadamente. Justin estava igual ou pior do que eu. E assim, nos beijamos novamente desta vez mais sedentos do que antes.
Ele me segurava com apenas um braço. O que comprova a teoria da minha mãe, de que eu tenha o peso de uma pena. Enquanto sua outra mão, fazia carinho em diversas partes do meu corpo. Findamos o beijo, com um doce selinho com respirações descompassadas. Nos encaramos olho no olho. Enquanto eu descia lentamente dos braços de Justin. Porém o mesmo ainda segrava minha cintura. Colando nossos corpos. Com tanta proximidade, podia sentir seu coração batia tão rápido e loucamente, quanto o meu.
– Own que fofinho! Que cute, chega dá vontade de apertar.- falou uma voz ao longe.
Parem a música
Virei, dando de cara com Ashley batendo cilhos, e um Damon com uma cara bem emburrada. Cheio de marcas de batom rosa na cara. Até que vi, alguma coisa se mechendo perto do pé da loira eufórica. Ai meu Deus. Aquilo é uma...
– ASHLEY UMA COBRA NO SEU PÉ!- gritei da água. Vendo ela dar um pulo, gritando nervosa.  Rápido, Damon pegou um pedaço de pau grosso batendo na cabeça da cobra. Ela era grande e grossa, e tava se enrrolando no pedaço de madeira. Justin correu pra onde Damon estava, pegando outro pedaço de madeira. Mas desta vez, mais grossa. Batendo na cobra. Ao som dos gritos de Ashley. Corri até ela a a braçando, tentando acalma-la. Mas essa loira, correu subindo em cima da própria mochila.
– Ai caramba. Bate nela gente. Ai caramba. – falei totalmente apavorada. Me apoiando em uma árvore próxima. Vendo eles baterem na cobra até ela estar completamente morta. Respirei fundo, fechando os olhos.
– AHHHHH!- gritava a loira. Damon foi até a mesma, a abraçando forte. Até que Justin me olhou arregalado segurando mais fimemente o pedaço de madeira em mãos.
– Anna, por favor não se mova.- falou ele cauteloso. Damon saiu de perto da loira, tomando em mãos novamente, o pedaço grosso de madeira.
– Porque? O que houve?- perguntei no mesmo tom.
– Atrás de você, Anna. Corre!- gritou ela com as mãosna boca, pulando. Fransi o cenho, virando lentamente. Arregalei os olhos, vendo uma outra cobra. Eu não sabia se era medo, mas ela parecia ser mais grossinha, e assustadora do que a anterior. Engoli a seco, olhando direto nos olhos dela. Meu coração parecia que ia pular pela boca. Movi muito devagar o pé direito, em uma tentativa de sair sem fazer, movimentos bruscos. Tentei correr, mas no mesmo instante, a cobra tentou me atacar, o que me fez cair com tudo no chão. Me arrastei por ele, com medo. Até que senti algo.
– AH!- gritei me afastando ainda mais, do corpo da cobra morta ainda me arrastando. Enquanto os rapazes matavam a cobra a pauladas.
– Anna!- gritou Ashley correndo até mim, mas parando encarando a cobra com nojo. Voltando a ficar em cima de sua bolsa.
– Bate nela, Damon. Vai!- dizia Justin, batendo na cabeça da cobra. Mas a mesma, conseguiu escapar das pauladas, para um lugar desconhecido por mim. Os rapazes, logo correram até mim, junto a loira.
– Anna pelo amor de Deus, você está bem?- Perguntaram eles. Ao mesmo tempo.
– Nhe, eu... Hum. –respondi seguido de em terrível escuro.
[...]
Um dia Depois...
Abriram a porta da casa, e finalmente pude ter a visão de uma mulher ruiva, arrumada como se fosse á um encontro. Talvez fosse, afinal era uma linda noite, e ela é muito linda. Sorri pra ela, que por sua vez, me abraçou.
– Oi querida, como está linda. – falava Pattie sorridente.
– Digo o mesmo. A senhora vai ter um encontro?- perguntei curiosa.
– Acertou na mosca. Estou saindo com um cara, que a essas alturas deve estar me esperando. Passe por aqui qualquer dias desses, flor. Justin está no quarto, fazendo a lição de casa. Podeira avisar a ele, que passarei a noite fora, e caso tudo dê certo voltarei apenas amanhã a tarde? Beijos meu bem.- disse ela rápidamente. Me dando dois beijinhos na bochecha saindo em direção ao carro parado na frente da casa. Entrou nele, e logo sumiu do meu campo de visão.
Respirei fundo, entrando na casa fechando a porta se seguida. Caminhei cautelosa pela sala, indo em direção a escada. Tocar no corrimão me trazia lembranças, um tanto “diferentes”. Por isso achei melhor, não tocá-lo. Subi bem devagar as escadas, respirando fundo parando bem a frente da porta de seu quarto. Abri a mesma lentamente. Tendo a visão de um anjo, deitado na cama. Bastante concentrado nos deveres escolares. Nossa, esse quarto era o lugar onde eu tive belos momentos com Justin. Alguns intimos, outros apenas divertidos, e românticos. Suspirei, vendo ele finalmente parar e me encarar. Ainda me olhando inacreditável, sentou na cama. Respire fundo. É agora. Me aproximei dele, o abraçando fortemente. Ele fez o mesmo, me abraçando ainda mais forte. Me fazendo sentar em seu colo.
– Obrigada. – sussurrei em seu ouvido. Respirando fundo. Finalmente partindo o abraço.
– Porque está agradecendo?- perguntou ele, doce. Acariciando meus cabelos.
– Por ajudar Damon a matar aquela cobra e...
– E... - falou ele me ensientivando a prosseguir.
– E... Obrigada por existir. Obrigada.- sussurrei. Ele não respondeu em palavras.Apenas sorriu largo, tomando meus lábios em um beijo. Que rapidamente cedi sem sequer pensar duas vezes. Senti Justin esticar os braços, e jogar os livros no chão. Me deitando delicadamente obre a cama. Ficando por cima. Em seguida, partiu o beijo tocando meu rosto docemente.
– Eu amo você. Amo. – respondeu Justin, novamente tomando meus lábios me abraçando fortemente, mais ainda doce. Nossos carinhos eram contantes, e as maravilhosas sensações eram simplismente incríveis. Posso até tenta nergar, mas eu sei que no fundo. Eu ainda amo, e sempre amarei Justin Drew Bieber. Sempre.

 Então o que acharam? Até eu senti medo quando escrevi isso. Detesto cobras, fazer o que né? Bem, acho que esse foi um pouquinho engraçado, e romântico, eu particularmente gostei e vocês? Hehe Me contem nos comentários, ok? Beijocas :D

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang