25 de mai de 2013

My Dear Nerd - Capítulo 34 - Alguma Toalha?

Fanfic / Fanfiction de Justin Bieber - My Dear Nerd - Capítulo 34 - Alguma Toalha?
POV ANNA
Foi muito rápido, e quando eu percebi notei que já estávamos saindo do estúdio de gravação do programa. Junto a Justin, Ashley, Damon. O dia foi incrivel, e minha estreia no programa foi muito importante pra mim. Mas era uma pena, que eu não tinha esquecido aquela droga de papel que deixaram na minha cama. Todos falavam aos meus ouvidos, mas eu nada escutava. Justo quando eu achava que estava finalmente em paz me aparece uma coisas dessas. Mas que brincadeira de mau gosto!
Espera! Brincadeira de mau gosto + Garota que me odeia = Ananda. Bingo! Se aquela garota estiver metida nisso, vou tirar isso a limpo de um jeito ou de outro. Se isso era apenas uma brincadeira de mau gosto daquela vacalouca, ela vai me pagar.
[...]
– Gente cadê o Damon?- perguntei sentada a mesa do refeitório da escola. Em plena segunda chata feira. Juju e Ashley se encararam, tornando as atenções pra mim. Negando com a cabeça. Suspirei, comendo a última batata frita que tinha na minha bandeja.
– Não agente não viu, mas porque a pergunta flor que me ama mais que tudo?- perguntou a loira, roubando um negócio verde da bandeja de Justin.
– Nossa é verde. Você é um coelhinho é, Juju? Só come folhas! Assim vai ficar mais magro que eu, e minha avozinha juntos. Mamãe rosa!- dizia ela o encarando inacreditável.
– Isso aqui se chama alimentação saudável. Isso sim. Não sou nenhum coelinho.- rebateu ele risonho, ageitando melhor o óculos em seu rosto, com a ajuda de seu dedo indicador.
– Gente, eu vou prorcurar ele. – falei levantando da cadeira. E sem mais chances de deixarem eles protestarem, sai o mais rápido possível do refeitório.
– Ei, você viu o Damon por ai?- perguntei a Tori que passava pelo corredor, a caminho do refeitório.
– Vi sim. Ele tá no jardim, todo lindo deitado lá. Aiai.- rebateu ela suspirando. Batendo silhos em seguida. Boba. Ei com isso.
– Certo, valeu Tori.
– De nada flor! - respondeu ela, enquanto eu corria até o jardim. Vendo ali, Damon deitado na grama, com a cabeça apoiada nas mãos. Confeso que estava simplismente lindo assim. Sorri deitado ao seu lado, quando ele já estava próximo a mim. Apoiando a cabeça nas mãos.
– O que faz aqui? Pensei que fosse ficar ao lado da doida varrida e, do namorado nerd. Que foi, ela te expulsou da mesa, porque suas unhas estão roxas e não rosa?- comentou ele, levemente sarcástico como sempre. Ri.
– É claro que não. Estava sentindo sua falta, e vim prorcurar por você.
– Então acho que sua procura terminou certo?
– Sim, ela terminou. Mas porque você não vem ficar com agente? É divertido Damon.
– Eu queria ficar um pouco sozinho e pensar. Ultimamente não tem sido fácil pra mim. – respondeu em meio a um suspiro.
– O que houve? Algum problema?- perguntei agora preocupada.
– Sim, eu tenho um problema. Na verdade é um grande problema.
– E eu posso ajudar você nisso?
– Acho que não. Meu problema não tem cura.
– E o que você tem Damon? Me diz, que o que eu puder fazer pra ajudar, eu faço.
– Meu problema é amor, Anna Mel. Eu amo uma garota mas ela não percebe isso. E isso me deixa muito mau. Pronto falei. – disse ele de uma vez sem sequer respirar.
– Porque não fala pra ela. Se abre, quem sabe ela corresponda você.- sugeri. Vendo ele virar. Ainda deitado, apoiando o peso do corpo no cotovelo. Me olhando profundamente. Nossa, ele deve estar mesmo mau.
– Isso está fora de cogitação. Ela tem um namorado, e parece o amar muito. Ela nunca vai me amar. Mas me contento em ficar perto dela, e vê-la sorrir todos os dias. Isso é o suficiente pra mim.- respondeu ele, tocando levemente meu rosto. Acaricando minhas bochechas.
– Espero que ela note seu sentimento por ela. Você é um homem maravilhoso Damon. Merece alguém que goste de você de verdade.- sorri amigável.
– Dá licença. Vou roubar minha namorada agora. – disse uma voz. Olhei pra cima, vendo Justin encarar tudo aquilo de cara fechada. Sorri me levandando da grama. Abraçando sua cintura, lhe dando um beijinho na bochecha.
– Amor, já tocou acho melhor irmos pra sala.- disse ele ainda encarando Damon.
– Claro, vamos. Venha Damon.
– Irei logo depois de vocês.- respondeu ele. Deitando-se novamente na grama.
[...]
– Bom turma tenho um novo trabalho pra vocês. Eu quero que seja feito em dupla. - dizia o professor.
– E que trabalho é esse professor? – perguntou Justin ao meu lado.
– O trabalho é o seguinte. Vocês vão tomar conta de uma boneca por uma semana, como se fosse um bebê de verdade. E depois desta experiência irão fazer uma redação sobre o trabalho e me entregar. O mesmo será em duplas, que eu mesmo já separei. Se escutaram ótimo. Caso contrário, e não me trouserem o trabalho pronto, ganharam um ponto negativo.- dizia o professor. Logo dizendo as duplas. Olhei pra Justin, que sorriu pra mim. Divertido. O que me fez sorrir também.
– Espero que você seja minha dupla, amor. Vai ser o trabalho mais divertido que já fiz.- comentou ele no meu ouvido. Seguido de um beijinho na bochecha.
– Ashley e Justin, Damon e Anna Mel. Frad e Britney. Fiquem ao lado de seus parceiros, enquanto eu destribuo as bonecas, e bom trabalho.- concluiu o professor. Enquanto vi Justin me olhar tristonho.
– Queria que fosse você. – lamentou ele.
– Mas num fica preocupado não, Jujuba. Você vai ter uma linda, maravilhosa, sexy e tudo de bom como dupla. Eu sou linda meu bem. Agora Anna vaza da cadeira, que meu Popô Real está merecendo descanço. – falava Ashley a nossa frente. Ri com isso.
– Ah não. Não quero deixar minha Jujuba com uma varrida louca por unhas. Nada disso. – brinquei negando com a cabeça. Abraçando Justin, que riu do meu ato. O que fez Ashley jogar os livros sobre a mesa, bravinha. Prendi o riso, vendo ela bater levemente as unhas na mesa.
– Olha aqui sua morena ruiva. Eu sou linda demais, certo?! Não vou ficar ouvindo desaforo contra minha linda pessoa de jeito maneira. Pode levantar o traseiro daí, que o meu vai tomar o seu lugar. Pode dar o forinha daí o mais rapidinho possivel. Tipo, agora.- falou ela rápido e sem respirar. Sério, como ela consegue?
– Tá legal sua loira malvada. Eu saio mas, saiba de uma coisa. Estou de olho em você. – falei do mesmo jeito. Puxando Juju pelo queixo, lhe dando um selinho rápido. Levantei da cadeira, rumando para a da frente, onde estava Damon. Sentei ao seu lado, vendo ele me olhar de imediato. Sorri pra ele.
– Preparada pra ser mamãe de uma boneca que chora, e que tira a paciência de qualquer um?- perguntou ele, brincalhão. Mas com o mesmo ar de irônico, o que me fez rir.
– Bom, já que isso vale nota e eu preciso muito dela. Acho que estou preparada sim. E você?- rebati vendo ele fazer uma cara engraçada.
– Bom... - dizia ele até ser interrompido pelo professor.
– O papinho está bom?- perguntou ele irônico. Assenti dando de ombros.
– Está ótimo, porque?- rebati
– Que bom pra você. Mas acho melhor parar agora mesmo, com a conversinha paralela e prestar a atenção na atividade. – respondeu ele, bravo. Deixando a boneca na mesa com certa força. O que fez, a mesma chorar. Nossa! Ela já vem com pilha e tudo? Acho que vou tirar a pilha dessa boneca antes de dormir.
– Vai Anna, é com você.- falou Damon cruzando os braços, encostando-se melhor a cadeira. O olhei incrédula.
– Como é que é? porque eu?
– Seu nome começa com a letra A. Além do mais, o papai dela está ocupado.- rebateu ele.
– Jura? E fazendo o que, posso saber?- perguntei irônica.
– Tentando relaçar e deixar o serviso por sua conta. – respondeu ele. Me fazendo prender o riso, pelo seu jeito estabanado de responder. Encarando a boneca a minha frente. Mas como ele é folgado.
[...]
Andei de um lado para o outro do quarto, parecendo uma louca. A boneca não parava de chorar, e estava me deixando louca fazia duas horas. Eu já dei a madadeira de mentira, a chupeta de mentira e nada fez ela parar de chorar.
– Ahhhhhh! Cala boca boneca idota!- gritei irritada, jogando ela na cama. Deitando na mesma em seguida. Mas não é que ela parou de chorar? Mas veja só acho que essa boneca tem vida própria e só queria me tirar a paciencia. Mas que droga cara. Suspirei ouvindo a campainha. Logo levantei da cama, contra vontade descendo lerdamente as escadas em direção a sala principal. Respirei fundo, cansada abrindo a porta. Assim que levantei o olhar, arregalei os olhos vendo quem era. Damon me olhava com um sorrisinho no rosto, debochado e sexy ao mesmo tempo. Me olhando por completo.
– Damon, o que faz aqui?- perguntei o olhando de cima a baixo, confusa.
– Bom, eu resolvi que serei um bom pai de mentirinha. – rebateu ele dando de ombros. Respirei fundo, tentando me concentrar apenas em seu rosto. O estava muito complicado.
– Legal. E tipo, pensou isso quando?
– Não vai me deixar entrar?- perguntou ele, arqueando a sobrancelha. Balancei a cabeça, dando espaço para o mesmo passar. Que enquanto o fazia, sorriu irônico com sempre.
– Certo, onde está a boneca chorona?- dizia ele, subindo as escadas em direção ao meu quarto. Provavelmente. Com a porta já fechada, o segui vendo que ele encarava a boneca a cima da cama, com uma cara engraçada.
– Ali está, sua filha de mentirinha. Vai lá. Haja como um pai de mentirinha.- comentei risonha, vendo ele virar e me encarar.
– Sabe, pensando bem, acho melhor eu ir pra casa e deixar você ser a mãe de mentirinha. Já que parece gostar tanto. – sugeriu ele. Ri, negando com a cabeça.
– Nada disso. O trabalho é em dupla. Por tanto, faça sua parte.- rebati, de mãos na cintura. Vendo Damon rir levemente.
– Só tava zuando com você. Irei agir como pai de mentirinha, quando tomar um bom banho. Tchauzinho.- revelou ele, caminhando com calma em direção ao banheiro. Fechando a porta do mesmo, antes mandando um beijinho pra mim. Com a maior cara de pau. Bufei negando com a cabeça. Rindo baixinho. Ouvindo novamente a campainha tocar. Desci as escadas, com certa rapidez abrindo a porta no mesmo ritmo. Vendo Juju, de mochila, segurando em mãos uma rosinha linda. Sorrindo largo pra mim. eu podia ver sobe aqueles óculos, seus olhos brilharem, o que me fez sorrir ainda mais. O abraçando forte.
– Juju, que saudades eu senti de você lindo. Eu estava pensando em ligar pra você.- falei enquanto entravamos na casa. Fechando a porta, nos acomodando melhor ao sofá.
– Eu também senti saudades de você, meu anjo. Gostou da rosa? Foi a mais bonita que tinha, no jardim do visinho. – revelou ele, o que me fez rir. Ai que fofo.
– Amei a flor, amor. É linda, obrigada. Mas, porque está com uma mochila? – perguntei confusa, vendo Justin soltar uma pequena risadinha pelo nariz.
– Você é esquecidinha mesmo, né linda?- disse ele, risonho.
– O que eu esqueci?- perguntei ainda confusa.
– Nós temos prova amanhã amor, lembra que falei pra você que vinha pra cá. Pra estudar com você, e tirar suas dúvidas que por acaso não são poucas.- disse ele.
– Ah bom. Mas tem um probleminha, é que....
– ANNA ONDE ESTÃO AS TOALHAS?- gritou Damon do andar de cima. O que me fez comprir os lábios.
– O que o Damon está fazendo aqui? No seu banheiro?- perguntou Juju, curioso. Mas eu podia notar as pontadas de ciúmes, e sua respiração rápida e descontrolada.
– Bom, ele chegou aqui pra agente fazer aquele trabalho da boneca que nunca cala a boca. Mas só que ele quis tomar um banho e entrou no banheiro sem me dar chances de dizer algo. Logo em seguida, você chegou. Eu vou pegar a toalha pra ele. Já volto. – respondi, vendo Justin dar um longo suspiro. Levantando junto a mim, deixando um doce beijinho na bochecha.
– Eu vou com você.- respondeu ele, doce. O que me fez sorrir largo. Então quer dizer que ele acreditou em mim, e isso é ótimo. A confiança de Justin, é super importante. Subimos juntos as escadas, comigo com uma toalha em mãos. Logo entramos destraidos e abraçadinhos no quarto.
– Tem alguma toalha?- falou uma voz. Arregalei os olhos, vendo Damon pelado na porta do meu banheiro todo cheio de espuma. Por favor, alguém me ensine como respirar.

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang