1 de set de 2013

My Dear Nerd - What If - Capítulo 46 - É Bom Estar de Volta

 POV ANNA
Um Dia Depois...
- Tudo bem, eu entendo, mas tem certeza de que ouviu certo? - tentou Justin, notando meu nervosismo do outro lado da linha.
- Absoluta! Ela gosta dele, e estou pirando!
- Fique calma...
- Como assim, ficar calma? Estamos falando da minha loira! Minha! Você não sabe a vontade que tive de chutar o traseiro do Damon quando escutei aquilo. E pensando que Will era um Bobo Boboca Babuíno Balbuciando em Bando, quando na verdade, era o Damon desde sempre. Ai que vontade de chutar o traseiro dele. - reclamei. Era impressão minha, ou ele estava rindo? Tipo, oi? Esse é um assunto muito sério, ok? Obrigada.
- Bobo Boboca Babuíno, o que? - perguntou enquanto ria.
- Bobo Boboca Babuíno Balbuciando em Bando.
- O que?
- Justin!
- Tudo bem, tudo bem, estava brincando. - riu mais uma vez. - Agora, falando sério, você deveria ficar feliz. Afinal, apesar de não gostar do Damon, ele é o único ao qual merece a confiança e o coração dela.
- Quer que eu chute o seu traseiro?
- Ele é um canalha, é. - corrigiu rapidamente. Minha barriga roncou, mas tinha um assunto bem mais importante a tratar. - Você está com fome?
- Escutou isso?
- Uhum. - riu.
- Sim, estou morta de fome. Aliás, eu fui assaltada por aquele carinha da loja de doces.
- O que? Meu Deus, você está bem?
- Calma, não precisa gritar e nem ficar preocupado. Na verdade, ele só levou um dólar. Conversamos muito. Ele tentou, gentilmente, roubar meu Doritos, mas como abracei o pacote bem forte e fiz uma carinha triste ele decidiu levar um pirulito e um dólar do troco.
- Você estava voltando da loja de doces?
- Uhum. Perguntou sobre você, e contei que viajou, mas não me aprofundei no assunto. Por falar nisso, como vão as coisas por ai?
- Um pouco complicadas para ser sincero. Algumas delas, sabe, as gravadoras, não estão me aceitando, acham que sou jovem demais. - explicou aparentemente triste. Por um momento, senti um breve alívio; depois uma culpa descomunal me alcançou por estar feliz pelo fracasso dele. Afinal, que tipo de pessoa eu sou? Deveria estar triste por ele.
- Que pena. - falei.
- É, mas ainda tenho esperanças de que consiga alguma coisa. Ainda tenho dias, não vou desistir.
- Sei que não vai. Tenho orgulho da sua força de vontade.
- Obrigada. Aliás, falamos tanto de Ashley e Damon que não pude saber como está. Como vai você? E Mike? Sua mãe está bem, tentou falar com você?
- Bem, Mike continua o mesmo irmão irritante de sempre, sabe; roubando minha comida, o que é um crime hediondo!... Falando alto, pegando minhas canetinhas coloridas para riscar o caderno. O intrometido de sempre. Já minha mãe, tentou novamente ligar pra mim, mas ao que indica, pensei que só quisesse ouvir minha voz, porque fui a única que falou durante o telefonema.
- Não sei o que dizer.
- Tudo bem. Também não sei o que pensar sobre isso. Ainda é muito confuso.
- Mike comentou alguma coisa sobre ela?
- Não. Ele anda esquisito, sabe? Acho que tem algo haver com uma garota. Anda mais bobo do que o comum. Em resumo, está mais retardado do que o normal. Eu só preciso saber quem é a garota e descobrir se ela é o ideal pra ele.
- Ou caso contrário, terá um traseiro chutado. - completou minha frase risonho.
- Isso também, mas ele já é "grandinho" o suficiente pra se virar. Aliás, como vai a Tia?
- Mamãe está muito bem. Nós sentimos falta de casa. Sinto saudades de você e seu jeito comilão de ser.
- Eu também.
- Mas vou voltar logo, trarei muitas coisas legais. Eu também achei uma espécie de Kit de adesivos para unhas pra Ashley. Na verdade quem viu foi minha mãe, eu estava olhando a sua comida. - ri de seu comentário.
- A loira vai ficar bem feliz, mas não deveria gastar tanto conosco, Justin.
- Não é nada. - riu. - Mas agora eu tenho que ir. Meu dia será cheio amanhã, preciso estar bem disposto.
- Nos veremos em breve?
- Claro anjo. Amo você.
- Também. - respondi em troca e assim a ligação teve seu fim. Suspirei arrumando o pijama, esperando a loira trazer a caixa de filmes até a sala.
- Oi oi pessoinha da minha vida que me ama enlouquecidamente.
- Oi Ash.
- Quem era no telefone, Abelha?
- Justin.
- E ele perguntou pela minha beleza linda? Disse que sente falta de me admirar? - perguntou novamente.
- Perguntou sim. - falei rindo, vendo ela assentir satisfeita com a cabeça. Tirando a loucura ela é super normal. Só que não. E bem, foi entre minhas risadas e os protestos dela que escolhemos o filme e pegamos toda a comida possível - eu peguei toda comida possível - e sentamos para assistir. As luzes da sala estavam apagadas e o frio gostoso da noite ajudava bastante. Não, não era Querida Querida Unha, caso queiram saber o que estamos assistindo. Ela bem que insistiu para que ele fosse o escolhido, mas como não queria nada assustador e nem romântico, optamos por um filme bem legal. Harry Potter e o Enigma do Príncipe.
- Abelha, cê atende a porta?
- To com preguiça. - retruquei levando uma colher cheia de sorvete Napolitano e calda de morango, com M&M e tudo a que tinha direito. Que foi? Não me olhem estranho. Mas aquela carinha dela tava dando medo é sério. - Tudo bem, você venceu. - reclamei engolindo o sorvete. - QUEM ME ATORMENTA? - berrei para a porta.
- O bonitão. Gostoso, tudo de bom. - brincou.
- Entra. - respondi voltando a comer o meu sorvete. Damon sentou ao meu lado depois de entrar e fechar a porta. Ashley se aprumou no sofá, - ela estava com a cabeça relaxada sobre minhas pernas e deitada no sofá - e decidiu não tirar os olhos da televisão. Ao meu lado, meu amigo - de quem um dia irei chutar o traseiro - olhava para ela de vez em quando, tornando o clima mais tenso que o normal. 
- Harry Potter e o que? - perguntou ele.
- Enigma do Príncipe. - respondi.
- Como vai, Ashley? - tentou Damon. Ela não respondeu. Parecia uma criança mimada, os olhinhos na tela e mordendo os lábios compulsivamente.
- Pensei que fosse ficar com a outra. - falou depois de alguns minutos. Pus mais uma colher cheia de sorvete na boca, olhando de rabo de olho para os dois.
- Bonnie é muito legal, mas não faz o meu tipo.
- Não falei nome de piranhas na minha casa! - ela reclamou, mas não olhou pra ele. Levei outra colher a boca, a mantendo cheia o bastante para não falar nada. Estava no meio dos dois e aquilo não era legal. Mas fingi estar concentrada no filme, mesmo que meio constrangida por estar usando um pijama com estampa de elefantes e boné. O silêncio reinou por um tempo, mas todos estavam nervosos. Incluindo eu. Damon se remexeu inquieto e vi que o sorvete tinha acabado. Mas já?
- Poxa, a comida acabou. Vou pegar mais na cozinha, volto logo. - avisei sem retirar os olhos do pote. Ué, estava cheio ainda agora. Será que alguém comeu sem eu ter visto? Mas como isso poderia ser possível, eu estava abraçada a ele o tempo inteiro e...
- Hey, acorda pra vida garota. - uma mão atrevida ergueu meu rosto para cima e percebi que Damon estava a minha frente. Notei também que já estava na cozinha, e que tinha parado no meio dela pra falar comigo mesma sobre minha situação do pote de sorvete.
- Oi, desculpa estava pensando.
- Em comida, eu sei. - riu. Dei a volta e fui até a geladeira. Qual sorvete agora? Baunilha ou Chocolate? - Mas me fala, o que houve com ela?
- Ela quem? - perguntei. Baunilha ou Chocolate eis a questão.
- Ahsley, o que houve com ela? Está tão estranha, eu fiz algo errado? É TPM? - não é só você mesmo. Respondi em pensamentos, me imaginando chutando o traseiro de Damon. Gostei do que vi.
- Não sei. - menti. Continuei fazendo Uni duni tê para escolher o sabor do sorvete.
- Eu soube que ela terminou com aquele carinha lá, o Will. Fiquei feliz quando soube, não gostava dele. - admitiu. Relaxe, não pode chutar o traseiro dele. Não agora.
- Feliz?
- É, você não? Aquele babaca não a merecia. Ela pode e terá alguém melhor do que ele ou qualquer outro.
- E quem seria essa pessoa? - fechei a porta da geladeira e o encarei. Ele sorriu nervoso.
- Que sabor de sorvete vai escolher? Estou com fome.
- Porque terminou tudo com a Bonnie? - fui direto ao assunto.
- E porque quer saber?
- Responda.
- Ela não era a mulher que sonho para passar a vida inteira ao lado. Eu não a amo. - respondeu e continuou a me olhar. Me senti desconfortável ao imaginar o que perguntaria a seguir. Mas era preciso.
- Você ainda sente... Sente aquilo por mim? - perguntei de uma vez. Ele pareceu ficar ainda mais nervoso.
- Acho que vamos pegar o de chocolate. - referiu-se ao sorvete. - Se apresse antes que o filme termine. - cortou, tornando a caminhar para a sala, onde Ashley estava. Suspirei. Será que é o que estou pensando? Será que ele ainda sente algo por mim? Nachos!
[...]
POV JUSTIN
- Tenha calma, querido. - riu minha mãe.
- Eu realmente preciso saber onde eles estão. Porque não foram nos buscar no Aeroporto? - perguntei desapontado olhando pela janela do táxi.
- Talvez eles tenham se esquecido.
- Mas isso não é legal, como poderiam ter esquecido?
- Não fique assim. - tentou carinhosa. Aquilo tinha magoado, como foi que ela esqueceu que eu estava chegando? Logo ela, a Anna Mel? Passei a viagem inteira pesando nela, trouxe doces e lembranças e ela se esquece de mim. - Não vai ficar emburrado aí, não é? - falou apertando a minha mão enquanto o carro dava a volta no quarteirão. Não respondi. Com a mão livre, arrumei o óculo ao rosto e vi minha casa se aproximar muito rápido. Quando dei por mim, estava andando na direção da porta levando minha mala de rodinhas. Ao meu lado, mamãe destrancou a porta e a abriu. Tudo aconteceu bem rápido. Em um momento a sala aparentava estar escura e vazia; no outro, as luzes se ascenderam e pessoas gritaram boas vindas para mim. Tinha um grande bolo decorado, muitos balões e fitas coloridas. Ashley de vestido rosa e com sorriso no rosto, Damon batendo palmas e de olhos pregados no bolo, Mike sorria e ao seu lado, mas encantadora do que nunca, Anna Mel. O sorriso mais lindo que já vi no rosto e os olhos verdes brilhando. No momento seguinte, senti seu corpo contra o meu, em um abraço maravilhosamente forte e apertado.
- Como é bom ter você de volta. - disse abafado entre a curva do meu pescoço - causando um arrepio ali.
- Pensei que tinha esquecido de mim. - falei sincero a ela, apertando ainda mais o abraço que nos unia. O cheiro de seu perfume era maravilhoso.
- Nunca esqueceria de você, querido. - segurou meu rosto com as duas mãos pequeninas; senti nossos lábios unidos em um beijo - não tinha língua, mas ainda sim era perfeito - e nos separamos entre sorrisos largos ao ouvir os berros da loira.
- JUJUBA! MINHA JUJUBA, VENHA ABRAÇAR A SUA LOIRA AMADA, VENHA! - não preciso dizer que era o abraço mais maluco e sufocante de todos. Mas ainda sim, aquilo me fez rir quando ela me soltou, e pude tornar a respirar. Vi mamãe e Anna se abraçando, com a loira analisando o cabelo da minha mãe.
- É bom ter você de volta, cara. - comentou Mike enquanto apertavamos as mãos.
- Só estou aqui por causa da comida. - revelou Damon. Por incrível que pareça, eu ri daquilo também.
- Hey, essa frase é minha! - reclamou a minha comilona. Ela veio até mim, e me permiti abraçá-la de lado.
- Falado não é roubado.
- É sim.
- Não, não, não.
- Se repetir essa frase, vai se arrepender.
- Vou, é?
- Ashley tem um lindo salto de bico fino, que serve perfeitamente bem em mim. - esclareceu a morena.
- Tudo bem, nunca mais roubo suas frases na vida.
- Bom rapaz.
- Vocês fizeram tudo isso pra mim? - perguntei feliz. Ashley mexeu a cabeça positiva. 
- Uhum. A Anna fez todas as comidinhas, docinhos. Tivemos que amarrar ela na cadeira, porque depois de pronto, ela sentiu fome e tentou comer. - explicou a loira.
- Eu estava com fome! - defendeu-se Anna. Tornei a rir.
- Mas eu cuidei da decoração, fiz tudinho sozinha, Jujuba. Foi um trabalhão, cançou pra Chuchu minha beleza impecável, então é melhor você dizer que está maravilhoso.
- Está muito bonito, é. - balancei a cabeça com medo dela me dar uma Esmaltada na cara.
- Ótimo. Agora vou ter alguém para pintar minhas unhas sem reclamar.
- Eu não reclamo! - protestou Damon. Ela fingiu que ele não estava ali, e aquilo parecia magoá-lo.
- Você, Juju, e a Anna vão fazer minhas unhas perfeitamente belíssimas amanhã depois da escola, e nada de ficar rindo de mim e se escondendo para ir a cozinha e comer sorvete, pipoca, lasanha e chocolate quente.
- Eu não como tudo isso!
- E também não sai do quarto a noite, batendo os dedinhos em todos os móveis só pra comer, não é? - debochou a loira de braços cruzados.
- É claro que não! - retrucou envergonhada enquanto eu lhe beijava a bochecha, caindo na gargalhada. Como era bom estar de volta.

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang