30 de out de 2013

My Dear Nerd - What If - Capítulo 51 - Epílogo

POV ANNA
24 de Dezembro de 2010
     Respirei fundo, anotando o último ingrediente. O programa de culinária estava muito bom hoje, era sobre comidas para o dia de natal. A essas horas, Mike, muito provavelmente, estaria se preparando para a festa de natal da escola, seu par era Debby. Eu não gostava muito dela, mas, não queria interferir. Ele estava feliz, então era o que bastava. Quase um mês depois da partida de Justin, as coisas pareciam ter mudado drasticamente, e ao mesmo tempo, não tinham mudado quase nada. Não sei, até hoje, como não engordei, já que assim que ele partiu, comi tanto, mas tanto, que deveria ter ficado uma verdadeira baleia. Eu tinha mentido para Justin quando disse que meus parentes iriam vir para cá este ano. Eu só não queria que ele pensasse que eu ficaria em casa, porque ele não iria comigo, se bem que essa era a verdade. Ainda era recente para mim, meu amor por ele ainda permanecia vivo e forte, e parecia que sem ele, nada era bom. Já tentei me divertir, admito. E admito também que não obtive sucesso. Comecei a frequentar um pouco mais minha antiga casa, e vi minha mãe por algumas vezes. Trocamos olhares, porém, nenhuma palavra. Mike parecia estar namorando com Debby, é, por incrível que pareça, ele está apaixonado. Não sei o que ele viu nela, mas essa garota não me impressionou muito.  Não sabia da sua existência até ela ter um 'rolo' com Damon, e depois do interesse do meu irmão por ela, parei para observá-la melhor e saber se ele tinha bom gosto; minha conclusão era que ele continuava cego. E por falar em pessoas que se apaixonam, Ashley andava suspirando demais por meu amigo, Damon. Tá, ele era charmoso, bonitão, romântico e bom de cama, mas... Ah, qual é! Ela é minha loira, eu tenho todo o direito de interferir e chutar o traseiro do moleque. Ele a tinha convidado ao baile, iriam juntos. Eu queria muito ir, só pra vigiá-los, pra ter certeza de que não fariam nada que não deveriam. Sem falar que ele, simplesmente, queria morrer. É sério, o jeito que olhava para minha loira, como sorria e falava com ela. Se ele tentar qualquer coisinha, eu chuto o traseiro.
     Sentia uma falta absurda do meu nerd. Eu me perguntava todos os dias se ele ainda se lembrava de mim, de como estava, se seguia todas as regrinhas do livro de receitas com seriedade, se comia direito, se tinha encontrado alguém. Afinal, em um mês, muitas coisas podem acontecer, não é? No quarto ao lado, eu ouvia a loira fazer alguns barulhos, talvez de possíveis saltos no não. Suspirei, levando um nacho à boca. Poxa, eu poderia estar fazendo o mesmo, mas estou aqui, incrivelmente sem ninguém para me acompanhar ao baile. Pensei, comendo outro nacho. A questão não era ter um par, e sim, ser a pessoa que eu realmente queria que estivesse comigo lá. É claro que depois que Justin foi embora, muitos garotos se aproximaram de mim, me convidaram: minha resposta era sempre não. Por um tempo tive esperanças de que ele voltaria, mas, depois de uma semana, tudo isso morreu. Era difícil admitir, mas era o fim de tudo que tivemos e que, de agora em diante teria de seguir minha vida sem ele.
- Abre a porta. - gritou alguém do outro da porta. Abaixei um pouco do volume da tv, agradecendo por a luz do quarto estar apagada. Vai que ela pense que estou dormindo? Assim ela não me enche os ouvidos e posso ficar aqui. Não faz mal ter seu momento de depressão, não é? - Eu sei que você tá acordada Abelha, eu ouvi o som da tv. - insistiu dando leves batidas na porta. Permaneci calada, pedindo mentalmente que ela desistisse. - Você está assistindo ao Culinária Gostosa, abre logo isso. - continuou ela. Bufei. Ela tinha mencionado o nome do programa de culinária, ela sabia que estava acordada. Mas não me rendi. Se ela acha que pode me fazer sair daqui, está muito enganada. - Olha, eu só vim avisar que tem Panetoni na cozinha. E eu trouxe um pouco pra você.
- É? Cadê, eu quero, eu quero! - abri a porta apressada, sentindo meu dedinho do pé doer. É, eu saí tropeçando em tudo, e quanto digo tudo, é tudo mesmo. Olhei para ela, e me arrependi no mesmo instante de acreditar que ela tinha trazido comida.
- AHÁ! Eu sabia que você tava aí. - vibrou vitoriosa. Bufei, cruzando os braços depois e coçar os olhos. - A senhorita ia me deixar chamar ali, até mofar? Sabia que minha beleza poderia cansar? Isso não se faz não! E é tão malvada, que nem me elogiou hoje. - reclamou no final, cruzando os braços abaixo dos seios. Parei para observá-la. Seus cabelos estavam perfeitamente presos e brilhosos - mais do que normalmente - o vestido rosa - ou era vermelho? - dava a ela uma silhueta perfeita, o decote era sexy, mas não vulgar - levou um ponto por isso - usava brincos de argola e uma maquiagem suave. Na boca, um batom rosa. Linda, ela estava linda.
- Ual, Ashley! Você está deslumbrante! - exclamei a admirando de olhos arregalados. Ela sorriu agradecida.
- Brigadinha, eu sei que estou arrasando, mamãe me ajudou com o penteado; já que a senhorita, estava ocupada demais se entupindo de Doritos. - pôs as mãos na cintura. - E porque ainda não está pronta? Hum?
- Pronta para que?
- Ainda pergunta? Para o baile de natal da escola. - falou como se fosse óbvio, fazendo gestos com a mão. É claro que eu sabia do que ela estava falando, só queria adiar uma mentira cabeluda.
- Ah, é.
- Vou esperar você para irmos juntas.
- Eu não vou ao baile, Ashley.
- Como assim, não vai? Quase todos os meninos da escola convidaram você, como pode não ter um par? - perguntou curiosa. Suspirei.
- Recusei todos os pedidos. Eu já disse a você um milhão de vezes que não quero ir. Vou ficar em casa, e comemorar com seus pais...
- Ah, mas não vai mesmo! Você vai sim senhora, e pode começar a se arrumar já!
- Ma-mais... - tentei falar enquanto ela me empurrava para dentro do quarto.
- Nem mais um pio! Você vai tomar um bom banho, e vai fazer isso agora. Vou trazer sua roupa...
- Como é que é? Você comprou um vestido pra mim?
- É claro! Achou que eu iria deixar minha melhor amiga passar a noite inteira comendo e engordando, enquanto pode estar se divertindo e admirando minha beleza?
- Mas eu não vou, não quero ir.
- Não, eu me recuso! Me recuso a deixar você aqui.
- Mas não tenho par.
- Isso nós vemos depois. Agora, vou dar dez minutos para um banho e mais dez para se arrumar, Damon vai chegar em alguns minutos. - depois disso, saiu do quarto, fechado a porta, deixando que apenas a luz da tv iluminasse o cômodo. Eu não queria ir, mas, se a desobedecesse, perderia o traseiro. É melhor não me arriscar. Foi o que pensei antes de me direcionar ao banheiro. Aí vida.
[...]
- Já terminou? - perguntei mais uma vez.
- Está quase. - respondeu concentrada em seu trabalho. Arrumou uma coisinha ali, outra aqui, e mais um bocadinho acolá. Ela me olhou de cima a baixo e sorriu satisfeita. - Agora sim. Pode ver como está, veja que Abelha linda que é você. - disse sorridente. Me virei lentamente para o espelho e me surpreendi com o resultado. Ela tinha mais do que razão. Estava absolutamente linda! Os cabelos presos para trás em um coque bem arrumado - tão arrumando, que nenhum fio estava fora do lugar - os brincos grandes e brilhantes. O vestido vermelho sangue com detalhes, uma pulseira linda em um dos braços. A maquiagem perfeita, destacava meus olhos verdes e, um batom de um vermelho muito forte na boca. Nem eu me reconheceria.
- Ual. - falei admirada com o resultado.
- Verdade, ual. Sei que fiz um bom trabalho, mas só ressaltei o que você tem de belo. - ela falou. Sorri sem jeito. - Ah, qual é abelha! Uma pessoa linda como eu, só pode ter uma melhor amiga igualmente linda. Tá achando, o que? Eu posso, querida. - ri quando ela voltou ao normal.
- Mas e o meu par? Ou você esqueceu que só pode entrar acompanhado? - perguntei rindo levemente. Só ela pra me fazer rir assim.
- Seu parceiro está esperando por você lá embaixo. - piscou para mim.
- Você preparou tudo? - perguntei curiosa e surpresa.
- De nada, pessoa que me ama. - ela sorriu sapeca me segurando pela mão, andando comigo assim até as escadas. Admito que no começo, tive a pequena esperança de que quando chegasse a sala, encontraria o meu nerd, lindo em uma roupa de festa. Mas não foi bem o que encontrei, mesmo vendo dois lindos rapazes parados, de mãos nos bolsos, ao pé da escada.
- Minha nossa, vocês estão absolutamente deslumbrantes! - exclamou Damon. Ele obviamente não tirava os olhos da loira, que fazia o mesmo que ele. Assim que descemos as escadas, ele segurou sua mão e deixou um pequeno beijinho sobre ela sem tirar os olhos de Ashley. Acho que foi por isso que ela pôs esse vestido em mim: assim não poderia chutar o traseiro dele.
- Você está lindíssima. - olhei para frente, vendo meu irmão, lindo como nunca, um largo sorriso no rosto. Ué, ele não estava com a Debby?
- Obrigada. - sorri. - Você também está muito bonito, mas eu pensei que estivesse com a sua namorada. Onde ela está? - perguntei. Ele riu.
- Irei encontrá-la na festa.
- E porque não vai com ela?
- Porque não posso deixar minha irmã sem um par adequado, não acha? - sorriu galante. - Ou achou que eu permitiria que esse idiota levasse você? Iria ficar se gabando o tempo todo, dizendo o quão "gostoso" é... - fez aspas com as mãos e uma careta; eu ri - ... por ser o par de duas lindas garotas.
- E pode um garoto levar duas garotas ao mesmo tempo? - perguntei curiosa.
- Eu sou gostoso, Mike. E não preciso ficar me gabando, minha gostosura fala por si. - respondeu Damon. Mike revirou os olhos.
- Além do mais, eu tenho certeza que ele ia abusar de você. - continuou meu irmão.
- Eu quero abusar é outra pessoa. - resmungou o meu amigo, baixinho.
- Espero que esteja falando do zelador, porque se for quem estou pensando... - não precisei encerrar a frase para que ele ficasse nervoso ao perceber que tinha escutado.
- Vamos tirar a foto, antes que vocês se matem? - perguntou a mãe de Ashley. Mike e a loira riram, enquanto nos posicionávamos para a foto. Cuidado com o se traseiro, Damon. Estou bem pertinho de você.
[...]
- Obrigada. - falei depois de alguns minutos. Tínhamos chegado à alguns minutos, e estava dançando uma música lenta com meu irmão. Ele sorriu confuso.
- Porque?
- Ué, por tudo. Mesmo sendo um idiota, um bobo completo, mesmo roubando minha comida e reclamando de tudo....
- Tudo bem, agora pode ir para a parte do elogio. - interrompeu ele. Ri com isso. Viu como ele é chato?
- Mas você é incrível. Não pensei que pudesse fazer isso por mim, quero dizer, largar sua namorada pra ficar comigo.
- Na verdade, ela não é minha namorada.
- Como assim? Pensei que gostasse dela.
- E gosto. - retrucou ele. - Mas, eu não quero alguém superficial, e infelizmente ela é assim. Debby escuta muito o que as amigas dizem, e simplesmente não gosto. Não quero uma garota que se comporte como uma vadia, mas não sei como dizer a ela que não estou mais interessado. Quero uma garota como você.
- Como eu? Nossa, espera, você está doente? - brinquei passando a mão em sua testa, ele riu. - Porque como eu?
- Por que além de linda, é inteligente, educada, carinhosa. E cozinha muito bem. - sorri convencida. - Eu não devia ter feito isso, agora você vai ficar se achando pro resto da vida. Se falar que disse isso a alguém, eu roubo toda a sua comida. - ameaçou no final.
- Eu também te amo, idiota. - ri, deixando um beijo em sua bochecha depois de abraçá-lo. - Mas acho que deve falar com a garota, ou simplesmente aproveitar a noite. Ficarei bem.
- Promete?
- Prometo. - assenti. Ele me abraçou mais uma vez. Nos afastamos juntos da pista de dança, onde Ashley e Damon dançavam, e Mike caminhou rumo a sua garota. Suspirei.
- Você quer dançar? - perguntou um garoto parando a minha frente.
- Não, obrigada. - neguei saindo rápido dali. Passei pelas pessoas, saindo do salão. Lá estava eu, novamente no jardim da escola. Andando pelo caminho de pedras. Ainda podia ouvir a música de onde estava, e para ali, olhando para o céu, pensei em Justin. Como eu queria que ele estivesse aqui.
- Já disse o quanto está linda? - virei lentamente, logo reconhecendo o dono da voz. Lá estava ele. Parado a minha frente, vestindo trajes de gala, uma das mãos no bolso. Um sorriso brincava em seu rosto, enquanto, com a outra mão, ele arrumava o óculo. Não consegui esconder minha surpresa. Acho que se poderia ouvir o bater do meu coração à quilômetros de distância.
- Justin? - perguntei ainda surpresa - felizmente surpresa - vendo que ele dava passos calmos até mim.
- O próprio. - respondeu em um sorriso parando a minha frente. Não sabia o que fazer ou dizer, mas, era verdade que estava mais do que feliz por vê-lo novamente.
- O que está fazendo aqui? Pensei que estivesse em Atlânta, o que... Como soube que estava aqui?
- Eu sabia que Ashley não deixaria você em casa. - sorriu fazendo um pequeno carinho em minha bochecha, mantendo a pequena distância que havia entre nós. - Mas eu não poderia deixar a mulher que amo, sozinha nesse dia tão especial. - um pequeno sorriso surgiu em minha face. A música mudou lá dentro. Logo reconheci a melodia e a voz. Meu sorriso cresceu ainda mais. Ele se aproximou e pegou gentilmente em minha cintura. Apoiei minhas nãos em seus ombros. - Vamos dançar.
Ouçam - novamente - Jason Derulo - What If
- Mas que coincidência maravilhosa, não é? A nossa música. - comentou ele. A troca de olhares era intensa. Eu tinha uma vontade incontrolável de beijá-lo.
- Você está lindo. - elogiei.
- Não tanto quanto você, é claro. - sorri em meio a dança lenta.
- Não acredito que está aqui. É maravilhoso revê-lo. Eu senti tanto a sua falta. Pensei que nunca mais o veria outra vez.
- Amei você ainda mais enquanto estava longe. Eu não posso simplesmente esquecer o que sinto por você, e nem pretendo. Percebi uma coisa extremamente importante durante esse tempo em que fiquei longe.
- E o que foi? - perguntei sem parar de encarar seus olhos castanhos. Lindos olhos castanhos.
- Percebi que não daria certo. Não daria certo, sabe, simplesmente não.
- E porque não?
- Porque eu não seria feliz; não por completo. Eu percebi que amo essa cidade, amo meus amigos loucos, amo você. - uma de suas mãos largou minha cintura e fez um carinho em minha bochecha. Simplesmente amei o toque. - Eu não poderia viver longe desse lugar que tanto adoro.
- O que está querendo dizer?
- Estou dizendo que estou voltando para cá. Voltando para minha vida, para sua vida.
- Não pode fazer isso por mim...
- É claro que posso. - interrompeu. - E também é por mim. Minha mãe disse que não importa o lugar, o que realmente interessa é a felicidade. Ela perguntou se estava feliz ali, e respondi que não. E sabe o que ela respondeu?
- Disse que estava louco, cometendo um grande erro de perder essa grande oportunidade por uma garota? - arrisquei e ele riu fraquinho.
- Não. Disse que deveria correr atrás da minha verdadeira felicidade. E ela é você. Eu te amo, Anna Mel Montês. Amo do jeito que é, da ponta dos pés, até o fio dos cabelos. Você só precisa me pedir para ficar. Me peça e eu ficarei. - nossos rostos estavam tão próximos que poderia sentir seu hálito batendo contra minha pele.
- Justin...
- Me peça, Anna. Me peça pra voltar para sua vida. - sussurrou roçando nossos narizes.
- Eu quero que fique, Justin. Fique comigo, fique aqui. Eu amo você. - respondi, perdida na veracidade das minhas palavras, perdida pelo calor do momento, pelo meu amor por ele.
- Eu amo muito mais. - ele sorriu e tomou meus lábios em um beijo. Ainda ouvindo a música, a nossa música, sorri entre o beijo mais maravilhoso de todos. Estava tudo bem agora.

NOTAS FINAIS
Bem, aqui está, esse é o último cap da fic, dessa fic. Pois é, acabou ou ou ou - eco - mas eles terminaram juntos, ele desistiu da fama EBA! haha Surpreendi vocês? Espero que sim, haha. Acharam mesmo que iria desistir do meu nerd? hehe Vocês ainda vão ter muito um jujuba totoso por aqui se depender de mim. Obrigada á todos por estarem comigo, pelos que acompanharam a fic até aqui, que comentaram e me fizeram rir que nem idiota. Por todos os elogios, todos os favoritos. Sem vocês essa fic não estaria aqui, e obrigada por ler minha humilde - muito humilde mesmo - história. Vocês são incríveis, muito obrigada de verdade. Mas, eai, o que acharam? Gostaram do cap? Ficou legal? Eu não postei a roupa dos garotos porque estão todos de Smooking, então, não achei necessário, mas a roupa das garotas está aqui, e espero que gostem também. E eu sei que enche o saco sempre ouvir quase a mesma música em momentos críticos, mas ela é tema da fic, e vai aparecer assim mesmo, mas se não gostarem, podem ouvir outra música enquanto leem. Já falando da terceira temporada, estou fazendo alguns ajustes, escrevendo os capítulos; logo logo ela será postada, eu prometo. Vou atualizar esse cap com o link da fic, ok? Fiquem atentos. Enquanto isso, vou dando algumas dicas da fic, só pra ficarem curiosas, porque sou má, haha. brinks. Brigadinha por tudo minha lindas, e até a próxima temporada. Mil beijocas beijcadas pra vocês, e pra quem vai pra Believe Tour, tenham um ótimo dia/show. :3 :')
vestido da ash na festa:
http://dammit.com.br/wp-content/uploads/2013/02/ashley-benson-faviana-fashion-tips-08.jpg
vestido da anna na festa:
http://i00.i.aliimg.com/img/pb/441/330/445/445330441_471.jpg

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang