16 de abr de 2014

A Hora do Pesadelo - Capítulo 7 - A Foto da Gaveta

POV JUSTIN
Cliquei em uma página na internet sobre sonhos, pesadelos e outras coisas relacionadas ao que estava acontecendo ultimamente. Perguntei ao meu pai, de forma sutil se já tínhamos conhecido alguém chamado Freddy e a resposta dele foi simples e clara: Jamais conhecemos alguém com este nome. Não insisti no assunto.
Era estranho porque, eu continuava sem entender o que realmente estava acontecendo. Eu sabia que ele estava escondendo algo, mas não sabia com exatidão e nem o tamanho da verdade, isso se ela existia.  Suspirei cansado, olhando insistentemente o monitor do laptop a procura de algo que pudesse nos ajudar. Ou simplesmente nos manter acordados.
Não via a hora de que tudo aquilo terminasse de uma vez.
- Hey, Justin! Olha pra mim, aqui. - ouvi uma voz doce e baixa, como um eco. Desviei minha atenção do monitor para a o corredor de estantes de livros ao meu lado na mesa, e apertei os olhos para ter certeza de que era, realmente, uma criança que estava para ali.
 Sorrindo pra mim.
 Me chamando para brincar.
  Merda!
Levantei bem lentamente, observando com cuidado, o Jesse de cinco anos de idade com seu sorriso inocente e ar brincalhão. Olhei para as mesas ao meu lado, onde antes estavam pessoas estudando ou apenas lendo; agora restavam apenas as mesas de madeira marrom parecendo ainda mais assustadoras do que já eram.  Decidi seguir a criança.
 Foi a pior escolha que tomei até agora.
O lugar que antes me parecia tão acolhedor, agora estava um completo breu. As filas de livros que formavam corredores, pareciam cada vez mais macabras a cada passo que dava entre elas; como uma floresta escura e tenebrosa, de árvores com galhos prontos para impedir sua passagem entre eles, deixá-lo ainda mais apavorado. Mas ainda sim continuei, observando tudo que podia, tentando não demonstrar medo. Nancy estaria na biblioteca em poucos minutos. Eu precisava acordar.
- Vamos brincar de esconde-esconde, Justin. - ofertou o garotinho, andando a minha frente.
  Igual a toda criança, exceto pelo fato de Jesse estar morto.
 Ele correu entre as fileiras o que me fez segui-lo. Tentei ignorar a risada de crianças, como se estivessem várias ao meu redor. Mas eu via apenas Jesse ali, brincando comigo, correndo como se estivesse em uma verdadeira brincadeira. Vi ele se aproximar da porta da saída e passar por ela, me convidando para ir também. Foi quando parei exitante de frente para a porta de saída sem saber o que fazer. Pare de ser medroso, seu idiota! Pensei, tocando com desconfiança na maçaneta da porta. Quando ela se se abriu, vi um homem rodeado de crianças do outro lado da rua. Recuei devagar e ele sorriu.
- Não vai brincar?
- Justin? - quase dei um pulo da cadeira, quando sentir uma mão fria tocar meu ombro sobre o casaco. Era apenas Nancy. Suspirei aliviado, agradecendo por ter escapado desta vez. Ainda podia ouvir o som da risada dele bem perto de meus ouvidos.
 Ela sentou ao meu lado, olhar desconfiado.
- Pesadelo? - questionou, e teve como resposta meu silêncio. - Freddy?
- Desta vez vi Jesse. Você chegou bem na hora.
- Há quanto tempo está sem dormir? - perguntou ela, olhos fixos em meu rosto. - Justin?
- Eu vou ficar bem. - cortei para não demonstrar cansaço. - Você descobriu alguma coisa?
- Mamãe diz que nunca conhecemos alguém com o nome de Freddy. - respondeu ela. - O que é muito estranho, porque se nunca sequer falamos ou vimos alguém com esse nome, porque esse cara está nos perseguindo? E não pode ser um delírio, afinal, sonhos não matam.
- Você tem razão, mas como vamos descobrir se ninguém sabe nos dizer exatamente o que está acontecendo? Nossos amigos já estão mortos, e tem uma pessoa tentando nos matar do qual não sabemos nada a respeito.
- Podemos investigar mesmo assim.
- Como? Não sabemos nem por onde começar direito, Nancy.
- Eu tenho uma ideia de onde.
[...]
POV NANCY
- Tem certeza de que é aqui? - perguntou Justin enquanto entrávamos no quarto da minha mãe.
- Claro que é. - abri uma das gavetas de uma mesinha de cabeceira. - Eu sei que ela tem uma pasta onde guarda documentos em algum lugar. - remexia a gaveta enlouquecidamente, atrás da pasta grande e preta cheia de bolsos e papéis. Quando finalmente a encontrei, a tirei de onde estava (deixando a gaveta aberta) e sentei no chão sem nenhuma cerimônia, com Justin me acompanhando durante todo o processo. Reviramos tudo o que tínhamos ali, mas nada poderia nos levar a uma pista, mesmo que minúscula a esse tal de Freddy.
- Só pode ser brincadeira. - reclamei em voz alta, já guardando as coisas.
- Eu avisei.
- Tem que ter alguma coisa aqui em algum lugar. Não posso acreditar que vai acabar assim. - respondi tentando conter o desespero. Levantei do chão, todos os papéis em seu devido lugar e puxei a gaveta mais para frente em modo de guardar a pasta onde a encontrei para que minha mãe não reparasse que alguém tinha mexido ali. Mas algo impedia que ela fosse mais para frente a cada vez que a forçava. - Porque essa maldita gaveta está emperrando? - perguntei irritada. Justin chegou mais perto e sai da frente para ele verificar o que havia de errado.
- Tem alguma coisa impedindo a gaveta de fechar.
- Foi o que falei. - reclamei impaciente, recebendo um olhar de repreensão dele. - Desculpe. - sorri sem graça.
- Tudo bem. - ele estava concentrado demais, tirando a gaveta do lugar por completo e enquanto ele segurava tive a visão perfeita de um saco plástico branco. O tirei de lá mais rápido do que imaginava e ele colocou a gaveta emperrada no lugar. - O que isso estava fazendo ali? - perguntou ele, confuso. Confuso do mesmo jeito que eu estava agora. Confusa e um tanto esperançosa. Sentamos no chão novamente, frente a frente.
- Acho que é o que procurávamos. Não tem razão alguma pra ela guardar isso aqui. - despejei todo o conteúdo da sacola no chão e papéis e mais papéis antigos saíram do saco como uma cachoeira. Analisamos algumas coisas, e todas elas eram de uma escola infantil, que parecia não existir mais. Peguei outra. Tinha uma relação de nomes ali.
- Veja isso. - Justin me estendeu uma folha e vi que era uma foto de crianças sorridentes e felizes, posando para a foto. Eramos nós! Todos nós. Justin, Jesse, Lola, Dean, eu.
- Mas como...
- Não lembro de ter conhecido vocês antes do fundamental, e nessa foto estamos todos juntos. - disse ele chegando mais perto. - Isso aqui - apontou para uma placa com o nome da escola no fundo. Um portão de grades altas e bem polidas, que eram totalmente diferentes nos meus sonhos. - Eu sonho com isso algumas vezes. Vejo a escola, a placa e o portão. Então é por isso que sonhamos com crianças e vemos a nós mesmo quando tínhamos 5 anos. É porque alguma coisa aconteceu nessa época.
- Sim, mas o cara derretida não aparece na foto. Se aconteceu algo naquele tempo, como vamos saber? Nem lembrávamos de ter estudado juntos. - retruquei não convencida ainda olhando pra foto, em dúvida.
- O que vocês estão fazendo aqui? - apesar de todos os acontecimentos recentes, não nos assustamos quando a minha mãe entrou no quarto, confusa e irritada. - Porque estão mexendo nisso? Como encontraram?
- Porque você mentiu pra mim? - perguntei firme e magoada com a mentira da minha mãe. - Fizemos um voto de nunca mentir uma para outra, porque não me disse isso? Você mentiu pra mim e vai me dizer o porque.
- Querida, me de essa foto. - se ajoelhou a nossa frente, (Justin agora do meu lado, se mantendo calado) e mantive o olhar tão firme na direção dela que poderia atravessá-la como uma bala. - Nancy, me dê essa foto.
- Não vou dar até você dizer porque mentiu pra mim! - quase gritei, perdendo totalmente a paciência. - Eu estudei com eles e não me contou isso. Aconteceu algo naquele tempo, e que você está escondendo de mim e quero saber o que é. E tende ser agora, mãe.
- Por favor, senhora. É importante. - pediu Justin, de voz baixa e controlada. Acho que tentando acalmar as mulheres ao seu lado.  Ela suspirou e sentou melhor ao chão, parecendo vencida demais para rebater mais uma vez. Fiquei satisfeita com aquilo.
- Tudo bem. Se é assim que querem, vou contar exatamente o que aconteceu.

NOTAS FINAIS
Oi gente! Sinto muito mesmo por ter demorado tanto pra atualizar essa fic. De verdade. Em todo caso, espero que tenham curtido o capítulo. Nos veremos em breve. Beijos :3


2 comentários:

  1. Aiiii sua vacaa '--' vou ter um heart attack se vc nn continuar *-*
    Pq demora pra postar? Eu gosto dos vídeos hehe'
    Continua :)
    Bezus :*

    ResponderExcluir
  2. Mooooooooh! rsrsrs Calma flor, eu já estou escrevendo outro cap novinho em folha :D Desculpinhas por demorar pra postar, tá? Hihi acho que vou por vídeos no próximo cap hehe beeeeeeeijocas :D :3

    ResponderExcluir

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang