8 de jul de 2013

My Dear Nerd - What If - Capítulo 42 - Meu Outro Lado da Empada


 
POV ANNA
- Posso comer essa batatinha? - perguntou Damon rindo se atrevendo a estender a mão para elas. Mão essa, que pus para longe com um tapinha. Se é que também posso chamar apenas de um 'tapinha'.
- Você quer morrer?
- Hum... Não, obrigado. Sou sexy demais para morrer. - piscou o olho enquanto respondia.  - E onde está o seu namoradinho nerd? Abandonou você? - riu tomando um grande gole do refrigerante.
- PESSOAS LINDAS QUE ME AMAM! ESTÃO SENTINDO MINHA FALTA? AH, É CLARO QUE ESTÃO! MAS NÃO CHOREM, ESTOU AQUI MEUS AMORES. - o grito inegavelmente alto de Ashley me impediu de retrucar meu caro amigo sexy a frente. Quando percebi, a loira eufórica sentou ao meu lado e suspirou alto.
- Hey! Essas batatinhas são minhas! - reclamei quando ela pegou uma das minhas batatas e levou a boca. Porque todo mundo quer pegar as minhas batatas? Mas que coisa! Deixem-nas em paz!
- Shiu. Me admire enquanto saboreio sua batatinha frita.
- E porque toda essa animação? Podemos saber? - perguntou Damon curioso. Eu sabia porque daquilo. Medidas de proteção, é claro.
- É, podemos saber? Porque demorou a sair da sala? Estamos esperando você há quase vinte minutos. - continuei a dúvida de Damon. Se essa mocinha... Arg!
- Bom... Fui ao banheiro me admirar. - respondeu como se fosse a primeira coisa que passou por sua cabecinha de vento. Sei quando ela está mentindo. E aquela era uma das mentiras cabeludas. Há se era. Loira, loira, loira! - Não pode mais não, é?
- Depende de quem você esteve com durante este meio tempo. - rebateu Damon. Sorri aproveitando a deixa.
- É, com quem você esteve?
- Cadê o Juju?
- Está na aula, responda minha pergunta. - insisti.
- Conversando.
- Com quem e a que distância seus corpos estavam? - continuou o moreno.
- Com algumas garotas...
- Ashley...
- Tudo bem, fiquei conversando com o Will. Ele é meu a-amigo, apenas. Vocês não deveriam ficar assim só porque ele é meu primeiro amigo homem.
- Está me chamando de Gay? Eu sou homem e seu amigo, caso não tenha reparado. - ele se ofendeu se apoiando a mesa
- Mas você é diferente...
- E porque?
- Por você não é meu amigo. É o meu melhor amigo, meu Damon Lindão Sexy, meu Chuchu. Meu Outro Lado da Empada, como diria a Abelha. - explicou calma e ele sorriu satisfeito, deixando bem a mostra uma fileira de dentes muito brancos e perfeitos.
- E por falar em Outro Lado da Empada, onde é que o Juju está mesmo?
- Já te falei, Ash. Está na aula, não tem a mesma aula que nós. A de Geografia para ser mais exata. Até agora agradeço pela professora ter faltado. Aulas vagas são perfeitas para descanso.
- É verdade que ele vai pra Atlanta com aquele carinha que... Como é que é mesmo o nome dele?
- Scooter Braun. Ele vai mesmo pra lá...
- Mas vai ficar lá para sempre? - continuou a loira em tom curioso.
- Não, é só por uma semana. Depois ele volta, Ash.
- Mas quando ele voltar, ele vai ficar para sempre, sempre, sempre e sempre?
- Não sei. Se ele conseguir uma gravadora, é provável que vá embora. - levei outra batatinha a boca. Eu não gostava nem um pouco dessa hipótese. E se ele fosse embora para sempre?
- Mas ele não pode ir, Abelha! Quem vai pintar as minhas unhas? Quem vai me trazer a comida, ou dizer que estou linda, além de você, Damon Lindão e o resto do mundo que me ama? Quem vai ser o seu Outro Lado da Empada? - disparou em perguntas se apoiando sobre a mesa. É, até que ela tem razão. Quem vai ser o meu Outro Lado da Empada se ele for realmente precisar se mudar para outro país?
- Eu não sei, mas por enquanto, nada está confirmado, entende?
- Mas e seu o Juju for mesmo embora para sempre?
- Eu não vou embora para sempre.
- Juju! - exclamou a loira com um sorriso no rosto. Levantou e sentou ao lado de Damon beijando sua bochecha. Justin sentou no lugar que ela ocupava, e deixando a mochila no chão sorriu para mim.
- O que está fazendo aqui, pensei que estivesse na aula.
- E estava. Mas terminei o exercício e a professora me liberou mais cedo. Fui o primeiro a terminar de responder as vinte e cinco questões, sabe? - comentou orgulhoso de si mesmo. Vinte e cinco questões? Isso não é uma atividade, é um monstro!
- Nossa, tadinho! Isso é abuso infantil, sabia? Ela não deveria escrever tanto assim. - comentou Ashley.
- Falta um homem na vida dessa mulher, só pode! - completou Damon e concordei com a cabeça.
- Não foi tão ruim assim. Me divertido, adquiri mais conhecimento. É bom estudar. - defendeu Justin. Ou seja, ele estava nerdeando.
- Só você acha isso, querido. - bati fraquinho em seu ombro, e ele riu.
- Olha Juju, vou dizer uma coisa, se você for embora mesmo e nos deixar aqui, você vai para lá Desjujubado. - Ashley retornou ao assunto que estava tentando evitar. Porque ela sempre tem que insistir nesse assunto? Já basta o sonho que tive, o mo que acordei assustada pensando que ele iria realmente embora. Justin a olhou arregalando os olhos cor de mel brilhantes. Ela deu de ombros. - Não me olhe assim. Estou só avisando.
- Mas porque você...
- Porque a Anna não pode ficar sem o Outro Lado da Empada, e você é o Outro Lado da Empada dela. E você sabe que ela adora empadinhas. - justificou tentando parecer assustadora. Porém, tudo que estava conseguindo é que parecesse muito fofa. Bem, ela era fofa, mas... Affs!
- Outro Lado da Empada? - perguntou rindo, mirando olhares entre a loira e eu.
- É isso mesmo!... Ah, você pode me ajudar a terminar o dever de casa de cálculo?
- Você me ameaça e depois me pede ajuda? Que? - tornou a perguntar, e até eu não me aguentei e ri. Ela nem é doida, né? Não, imagina!
- Bem, se você quiser continuar com o seu traseiro no lugar...
- Tudo bem, eu faço todo o seu dever, não se preocupe.
- Medroso. - ralhou Damon de braços cruzados. Uma perfeita pose de Bad boy sexy que te faz suspirar. Ou não, isso depende bastante se seu namorado estiver do seu lado, como é o meu caso.
- Isso porque não é você quem está sendo ameaçado por uma loira maluca!
- Eu não sou maluca!
- Só não em um 'juízo'. - completou Damon. Seu olhar calmo mudou de repente, percebendo o que tinha falado. Ashley não tirava os olhos azuis arregalados de cima dele, com uma carinha de bravinha que dava medo. Admito. Justin riu daquele que a poucos segundos o chamou de medroso e a loira o encarou.Acho que não preciso dizer que ele se calou mais do que imediatamente.
- Como é que é, Damon Lindão? Me chamou de doida? - perguntou apertando os olhos. - Abelha, faça alguma coisa! - virou-se para mim. Arregalei os olhos, abraçando minha bandeja de comida. Bem, eu tentei. O que vale é a intenção, né?
- Porque é que você está rindo, Juju? Tá achando engraçado? - continuou bravinha. Ah tá, então essa risada de um gato com asma faminto era dele. Ah!...
- Não, é só essa doida abraçando a comida! - continuou rindo. Ashley pareceu gostar e o acompanhou na risada.  Apertei os olhos e virei a cabeça lentamente para ele. Se ele parou de rir no exato momento? É claro que sim.
- Bem, que-quero dizer, uma doida muito maravilhosa, e inteligente...
- Você fica melhor calado. - cortei, ele riu nervoso. Aprumou os óculos e encarou a mesa.
- Hey, pessoas que me ama, eu tive uma ideia! O que acham de assistir um filminho sobre unhas...
- NÃO! - gritamos juntos assustados. Aquele filme de novo não. Não aguento mais assistir Querida Querida Unha.
- Não gritem assim. Podem ofender meus delicados ouvidinhos!
- Não gritaríamos se tivesse sugerido esse filme. É horrível! - era impressão ou tinha uma certa gotinha de medo na voz de Damon? Tudo bem, eu o entendia.
- Não é não. É o filme mais brilhante que já produziram...
- Aquilo não é um filme, Ashley. Tecnicamente é um documentário...
- Se eu fosse você, ficaria feliz em ter um traseiro Jujuba. Não me corrija. - reclamou a loira. Nossa! Ele foi muito corajoso, estou falando sério!
- Mas eu gostei da ideia do filme. Tem um lançamento hoje.
- É mesmo, Justin? E qual é o filme, é legal? - pergunte curiosa.
- É um documentário sobre Bactérias, é muito bom e...
- Juju, qual foi a parte em que disse que você era melhor calado que não entendeu? Você nerdeou hoje durante o dia inteiro, dá um descanso. - reclamei levando outra comida a boca. Não, eu não estou com ciúmes do documentário das bactérias, não estou. Não estou não estou... Ah! Qual é! O que é que as bactérias tem que eu não tenho?
- Tem um filme maneiro do Will Smith, o que acham?
- Gostei da ideia, Damon Lindão. - a loira sorriu deixando outro beijinho na bochecha dele.Tudo bem, Anna, se controle. Você não pode chutar o traseiro do Damon, ele conhece suas táticas.
- Mas e a comida? Eu devo dizer que ainda prefiro ir em um bom restaurante.
- Veremos isso depois, Anna.
- Nada disso. Estou com fome!
- Vamos assistir o filme. - cortou levantando-se da mesa. Bufei irritada e levantei junto. Porque sempre deixam a comida por último? Que preconceito é esse? Ela não pode nos acompanhar no começo, meio e fim?
- Epa, epa! Onde pensam que estão indo?
- Não enche, Mike. - respondi preguiçosa. Justin me abraçando de lado. Ainda bem que comi tudo a tempo. Levaria a bandeja de comida junto se precisasse.
- Nós já largamos, esqueceu, bobinho? - continuou Ashley. Meiga e sorridente, recebendo em troca um sorriso do meu irão boboca. - Vamos ao cinema.
- É mesmo, tinha esquecido. Está bonita hoje, Ashley.. - elogiou. Não sei como foi possível, mas o sorriso dela se abriu ainda mais.- Brigadinha, sei que sou linda.
- O que você quer, fala logo.
- Calma, irmãnzoca, só quero ir com vocês...
- Mas estamos em casais...
- Não estamos não! - rebati o comentário da loira. Como assim estamos em casais? Nada disso, ela não faz par nenhum com o Damon. Não, não e não!
- Então acho que posso ir também... Ah, o vovô ligou avisando que ele e a tia Lisa vem pra resolver o problema da Clarice. O pessoal daqui ainda está resolvendo se ela vai cumprir pena aqui, ou se vai ser deportada.Você sabia que ela está grávida? - comentou simples enquanto caminhávamos. Caramba, essa gosta de ter filhos, hein? Deve adorar a coisa. Já é o terceiro! E sim, puxei a loira para caminhar do meu lado.  Nem no Damon se pode confiar? É isso? Como assim, casais? Garotos, esses garotos estão me dando uma dor de cabeça! Porque ela cresceu tão rápido?
- Ô povo que gosta de ter filhos, viu!?
- Vamos comer alguma coisa? - perguntou novamente. Os outros a nossa volta o observaram curiosos e depois a mim.  Ué, ele é meu irmão. Vem da família, fazer o que?
[...]
- O que é que você está fazendo? - perguntou risonho enquanto eu o puxava para o banheiro. Agradecendo por este estar vazio, pus a plaquinha amarela de Piso Molhado na frente da porta e a tranquei assim que estávamos dentro dele.
- O filme estava chato, ué!
- Chato? Ele acabou de explodir uma casa com produto inflamável... - respondeu confuso e nerdeando no meio do caminho. Depois de constatar que não tinha câmeras no banheiro me virei para ele. Vai que tem alguém aí que pode querer dar uma de Britney, né? Preciso me prevenir.
- Você ainda não entendeu porque estava chato. - o empurrei até a parede e beijei seus lábios com urgência. Ele pareceu entender e não se deixou intimidar. Abraçou logo minha cintura, deixou sua língua se envolver ardentemente com a minha e apertou meu bumbum com a mão livre.
- Agora eu entendi porque estava chato. E você tem razão... Estava muito chato. - comentou ofegante depois de partimos o beijo. Logo sua boca estava envolvida com a minha novamente. Abracei seu pescoço quando ele me ergueu no ar e sentou-me na pia enorme de mármore. Ele me prensou contra seu corpo sem parar o beijo que nos unia com um calor que subia em meu corpo. Quando este parou, Justin se apressou em deixar beijos em meu pescoço, gentis para que ninguém notasse marcas indesejáveis nele. Enquanto isso, eu tratava de acariciar a região da calça onde seu membro se encontrava. Estava despertando, era certo.
- Nos vamos mesmo fazer isso em um banheiro?- perguntou ofegando. Sorri fraco.
- Encare isso como uma rapidinha. Ou se quiser, como se eu estivesse devorando meu Outro Lado da Empada. - respondi dando de ombros. O beijei outra vez, não antes de retirar o cachecol e blazer preto. Envolvidos em mais um beijo ardente, ele me trouxe um pouco mais para a ponta da pia, pressionando ainda mais nossas intimidades. Ele apertava minhas coxas, mesmo por cima da calça e por vezes, passava as mãos pelos meus seios por cima da roupa. Ainda trocando carinhos quentes, tirei o suéter que ele usava. Ali vi outra blusa de mangas, ao qual também se despediu de seu corpo. Porque ele usava tanta roupa? Não percebe que fica difícil tirar, bolas?
- Você realmente precisa parar de usar tantas roupas. - reclamei ofegante apertando sua cintura com as mãos.- Mas o dia amanheceu frio.
- Mas vai ficar muito quente a partir de agora. - abracei seu corpo com as pernas antes de nos beijarmos novamente. Enquanto uma de suas mãos apertavam minhas coxas como podiam, as minhas desceram até o cinto. Este, em segundos já não prendia as calças que ele usava. Assim, vi a barra da Boxer cinza, que cobria seu membro visivelmente desperto e pronto para ação.
- ... Mas eu quero ir no banheiro. - uma voz manhosa despertou meus pensamentos mas não o suficiente para largar a boca do meu namorado. Ele, por sua vez pareceu despertar em puro pânico.
- Você não viu a placa de Piso Molhado? Deve ter outros por aqui, venha. - disse uma segunda voz em leve irritação com a insistência da provável amiga. Depois disso, passos foram ouvidos até se tornarem distantes de pararem por completo. Senti o aperto de Justin mais firme em mim. Ele estava tranquilo agora, pensei. Sem demora, fui descendo, como podia sua calça. Dei graças quando ele entendeu o que pretendia e jogou-a para longe.
- Você também vestiu muitas roupas hoje. Não estou gostando disso. - reclamou em troca puxando minha blusa. Logo ela estava jogada no chão incrívelmente limpo junto as outras roupas. Com um sorriso, deixei um selinho em seus lábios e fui descendo meus beijos pelo seu peitoral. Mas fui impedida de continuar assim que ele puxou meus braços e me fez tornar a ficar sentada. Senti outro aperto. Desta vez no seio esquerdo. Ele se livrara do sutiã segundos depois de retirar a blusa do meu corpo. Quando dei por mim, minhas costas estavam sobre o vidro frio, ou devo dizer uma parte dela. Justin fazia um delicioso trabalho no bico do meu seio. Por minha vez, abracei seu corpo ainda mais forte, do jeito que pude, com as pernas. A intenção era sentir seu membro ainda mais firme em mim. E percebi que havia conseguido quando um gemido rouco e sensual escapou de sua boca.
- Porque é que você me deixa tão louco? - sua pergunta retórica me fez rir e rebolar nele bagunçando seus cabelos. Suas mãos apertavam, acariciavam tudo que encontravam pela frente. Minhas palavras sujas em seu ouvido pareciam deixá-lo cada vez mais excitado, e seus toques cada vez mais intensos. Continuei a rebolar, seus beijos descendo por minha barriga, deixando um rastro maravilhoso de marquinhas vermelhas por onde seus lábios passavam. Era delicioso. Direcionando um olhar completamente sapeca para mim, ele retirou meus sapatos, cinto e calça. Deixou um beijo, perdão, beijo não, um chupão na intimidade coberta pela calçinha. Segundos depois, esta peça não se encontrava mais em meu corpo. E antes de fazer qualquer coisa, Justin se inclinou até mim e deixou um doce selinho em meus lábios.
- Você uma menina muito sapeca. - acariciou meu rosto e riu.
- Mas você me ama. Assim como amo você.
- É, eu amo mesmo. Amo muito. - e enquanto nos amávamos, tive a completa certeza de que sentiria muita falta dele quando fosse embora. E eu, sinceramente, não queria.
[...]
- Eu vi vocês saindo, só chegaram meia hora depois. Onde estavam? - Damon cochichou. Ashley, Justin e Mike tinham ficado esperando na mesa enquanto buscávamos os pedidos. Duas pizzas gigantes de calabresa. Uma para eles, e uma inteira pra mim. Que foi, não me olhem estranho!
- Vocês usaram o Golpe do Cachorro Quente para se pegarem? Eu vou realmente chutar o traseiro desse cara, estou perdendo a paciência com ele? Como ousa? - repetiu irritado para si mesmo nas últimas frases. Nem queiram saber como funciona esse golpe.
- Você só fala assim quando assunto é a loira...
- Mas você também é minha amiga, também me preocupo com você. Nunca mais vou entrar naquele banheiro!
- Claro que não, era o banheiro feminino.
- Isso mesmo! Para minha sorte foi o feminino.
- Não vai contar para a loira, não é? - perguntei receosa e curiosa.
- É claro que não! Acha que vou tirar a pureza dela? Não quero ela repetindo o que acabou de fazer. Estou decepcionado, Anna. Não acredito que fez isso aqui, será que não poderia esperar por um quarto?
- Ele vai embora, Damon...
- Pensei que fosse apenas por uma semana.
- E é. Mas eu sinto que ele vai conseguir. Ele é talentoso, divertido e desenrolado. Ainda acha que ele vai ir e voltar com um fracasso nas costas? - rebati baixinho, suspirando fraco.
- Acha que ele deixaria você?
- Essa é uma coisa do qual não faço a menor ideia. Eu quero que ele seja feliz. Ele precisa de dinheiro para a mãe e até para si. Um talento como o dele não pode ser desperdiçado, ainda mais quando se necessita do dinheiro que isso trará, mas... - parei de falar gradativamente olhando o chão. A fila avançou e dei dois passos a frente. Aquele assunto era algo que eu não gostava de lembrar. Doía saber que ele provavelmente não voltaria. Esse era o ruim de se apegar as pessoas. Um dia elas vão embora. E você fica com o coração partido.
- Mas você não quer que ele vá. - completou ele.
- Me sinto egoísta por pensar dessa forma. E talvez eu seja mesmo. É só que... Ele é importante pra mim...
- Você o ama. Entendo. Tem medo que ele vá que esqueça você. Que possa amar outra pessoa. Estou certo? - tornou a perguntar baixo. Mordi os lábios sem responder. - Se arrepende de ter postado os vídeos, não é?
- Seria egoísmo dizer que me arrependo?
- Não, você não quer perder a pessoa que ama. Faria qualquer coisa para continuarem, não é? - tornou a questionar. Afirmei com a cabeça. - A questão é se ele faria qualquer coisa por você. Inclusive desistir disso e ficar aqui. Por você.
- Próximo... Duas Pizza's de Calabresa tamanho família, cinco copos de 5ooml de refrigerante. Obrigada pela preferência e voltem sempre. - dizia a atendente quando demos mais um passo a frente. Enquanto ajudava Damon a carregar as bandejas, a dúvida dominou meu ser. Será ele capaz de tudo por mim, assim como eu seria por ele?

Notas Finais
Espero que tenham gostado do cap, e me desculpem pela parte hot pequena, estou com muita preguiça e pouca imaginação para terminá-la, por tanto ficou essa porcaria, me desculpem. Sinto dizer que a fic está em seus capítulos finais, mas prometo muitas surpresas para este final de temporada. Me digam o que acharam, o que gostaram ou não e o que posso melhorar. Conversem comigo, flores. haha Muitos e muitos beijos e até o próximo :D
Roupa da Anna: http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=7191295042569323636#overview/postNum=0

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang