4 de mai de 2013

My Dear Nerd - Capítulo 11 - Baile Especial

Fanfic / Fanfiction de Justin Bieber - My Dear Nerd - Capítulo 11 - Baile Especial

POV ANNA
Me vesti, com uma certa pressa. Quando já estava devidamente vestida , sai do quarto com uma pressa absurda. Desci as escadas segurando o vestido, para não tropessar e cair. Vi minha mãe na sala, sorrindo pra mim com a porta já aberta.
– Desejo sorte querida. Pode usar meu carro. - disse ela. Sorri agradecida, saindo de casa. Essa era a hora. Eu precisava ser corajosa, não havia mais volta. Precisava dizer, mesmo sabendo que poderia ser rejeitada. O que não duvidava que fosse acontecer, mas minha mãe estava certa. As vezes me pegava imaginando minha reação ao saber que ele me ama. Imaginava-o dizendo palavras de amor, imaginava nossas risadas, e as tardes em que poderíamos passar assistnido filmes bobos na tv, acompanhados de um belo pote de sorvete. Eu não sabia se nada disso, se alguns desses sonhos poderiam se realizar, mas sabia que era melhor enfrentar de peito o que estava me atormentando. E mesmo sabendo o que poderia acontecer, entrei no carro e liguei o motor. Me sentia mais corajosa do que nunca.  Mas era isso. Lá vamos nós.

POV JUSTIN
Já estavamos na festa. Exatamente dentro do salão. Uma das coisas que pude notar, foi que as pessoas me olhavam. Mas olhavam, de um jeito diferente do normal. As garotas me olhavam com um certo desejo, e os rapazes me analisavam surpresos. Mas nada me importava agora. Eu prorcurava exatamente Anna Mel. Já eram 8:56pm e nada dela aparecer. O salão tava lotado, equanto a música alta pairava pelo local. Ashley estava linda, realmente, mas ela não me interessava. Eu queria saber onde estava a minha Anna. Eu já tinha rodado o salão inteiro, e nada dela. Até que vi, Damon sentado em uma cadeira, perto do balcão. Parecia beber algo. Me aproximei dele, ficando a sua frente com as mãos no bolço. Ele me olhou dos pés a cabeça.
– Olhem só. O nerd excluído, resolveu ficar bonito.- zombou ele. Bufei.
– Onde ela está?- perguntei sério. Ele me olhou confuso.
– Você não sabe?
– Não sei de que?- perguntei já nervoso. Vendo Ashley se aproximar e ficar ao meu lado.
– Ei, Damon você viu a Anna Mel?- perguntou ela, curiosa.
– Pensei que soubessem. Ela não vem, hoje. Faz dois dias que ela me falou. Pensei que ela tivesse dito a vocês.- concluiu ele. Deu de ombros, dando mais um gole de sua bebida. Respirei fundo. Caramba, eu me produzi todo só pra ele. Só pra contar de uma vez, o que está entalado na minha garganta desde que a conheci. Mas eu ia falar. Nem que eu fosse até a casa dela, para isso.
– O que vai fazer?- perguntava Ashley. Ela me acompanhava enquanto eu andava em direção a saída. Já chega, se ela não vem, eu vou até ela.
– Vou fazer o que devia ter feito a muito tempo. Nem que seja preciso ir a casa dela.- respondi ainda andando.
Até que eu parei, de frente para a escada. Vendo alguém descer as escadas que davam acesso ao salão. Todo mundo que tava ali, parou o que estava fazendo para admirá-la. Sim era ela. A minha Anna Mel. Ela descia graciosamente as escadas, com o olhar fixo em mim. Estava simplismente linda.  Naquele momento mais nada importava. Apenas ela. Eu sorria feito um bobo, admirando-a. Tão doce, e delicada. Tão minha. Bom ela não é minha, mas eu queria que fosse. Linda. Simplismente linda. Ao terminar de descer as escadas, parou a minha frente com um sorriso no rosto. Peguei em sua mão, docemente deixando ali um beijinho doce. Ela riu fraquinho por sua vez. As pessoas, a nossa volta, que antes no observavam, agora voltaram suas atenções para o que antes estavam fazendo . Uma música deu inicio. Lenta e suave. Sorri para ela.

Escutem Céline Dion - My Heart Will Go On (00:53)
 – Você aceita dançar comigo?- perguntei. Ela sorriu para mim.
– Claro.- respondeu doce.
Caminhamos juntos, até o meio do salão. Ficamos frente a frente, enquanto eu pegava em sua cintura, colando nossos corpos. Ela por sua vez, apoiou as mãos em meus ombros. Sorrimos um para o outro, iniciando uma dança. Seus olhos eram tão lindos, seu rosto perfeito e para mim tão anjelical. Nos movimentavamos com muita facilidade. Sem quebrar o contato visual. De vez em quando eu apertava sua cintura, a trazendo ainda mais para perto de mim. Sentia o carinho de suas mãos em minha nuca. Era agora ou nunca.
– você está linda, Anna. Pensei que não viria. - comentei doce. Ela sorriu, vemelhinha.
– Obrigada. Você também está lindo, Justin.- respondeu ela.
– Gostou? É para você. – admiti sorrindo.
– Obrigada.- sorriu envergonhada.
- Hum... Justin. Eu preciso dizer uma coisa.- comentou ela. Parecia um pouco nervosa. É agora. pensei. Respirei fundo.
– Não. Deixa primeiro eu, contar uma coisa que está entalada na minha garganta a muito tempo. Por favor, deixa eu falar.- falei doce, respirando fundo.
– Tá bo-bom. Fala. –respondeu nervosa, gagejando. Respirei fundo novamente.
– Bom, eu sei que parece bobo e até vou entender se você nunca mais quizer olhar na minha cara. Mas eu preciso dizer. Eu não aguento mais. Não aguento mais, te ver todos os dias e não poder te chamar de minha. De meu amor. Foi a primeira vista, e sem eu menos esperar. Tudo em você me faz ficar ainda mais apaixonado. Eu amo seu sorriso, seus olhos, amo seu jetio de ser, amo seu rosto, amo seu cabelo, amo seu corpo. Eu amo tudo em você. Você, foi é e sempre será a única garota que faz o meu coração bater mais rápido e mais lento ao mesmo tempo. Você é a única garota com quem quero estar todos os dias, o dia todo. Eu sinto sua falta, quando vou dormir, e até nos meus sonhos você está lá. Eu penso em você 24 horas por dia, todos os dias. Eu sinto inveja do Damon, por que ele ficava muito tempo com você. Eu sinto ciúmes quando qualquer garoto, chega perto de você. Do jeito que eles te olham. Você é a minha vida, o ar que eu preciso para respirar. Eu amo você, Anna Mel. E nada nem ninguém vai mudar isso. Eu te amo.- falei tudo de uma vez.
Até tive uma sensasão boa. Como se tivesse tirado um peso das costas. Eu finalmente incontrei corajem para dizer tudo o que eu nunca tive corajem de dizer em toda a minha vida. Eu estava nervoso, pela sua resposta confesso. Meu coração batia depressa, descompassado. Vi ela sorrir largo, segurando meu rosto com uma das mãos.
– Jura? Você me ama?- perguntava ela sorrindo largo pra mim. Com o rosto bem próximo ao meu. Me olhando olhos nos olhos.
– Sim, eu amo. Amo com toda a minha alma. Eu faço qualquer coisa por você, Mel. Eu te amo.- repeti, desta vez um pouco mais claro. Ela sorriu ainda mais se é que isso era possivel. Eu por outro lado, estava muito nervoso.
– Eu também amo você. Amo, pelo seu jeitinho fofo de ser, amo seus olhos, amo tudo em você. Penso em você 24 horas por dia, todos os dias. Você não sabe, o quanto eu fiquei triste, pensando que você amava a Ashley. Não sabe o quanto eu chorei, por pensar que você nunca me amaria. Eu não viria, hoje. Eu não queria me machucar, vendo você cheio de carinhos com ela. Mas minha mãe me disse que eu tinha que ir atrás da minha felicidade. E minha feliciddade é você, Justin. Eu amo você.- disse ela, me olhando com um sorriso enorme.
Um sorriso, surgiu em meu rosto de imediato. Caramba, ela também me amava. Aquilo era maravilhoso. Eu nunca pensei que poderia ser correspondido. E cara, ela me amava com eu a amava. Eu sou o cara mais feliz do mundo. Ela pôs as mãos, novamente em minha nuca. Toquei em seu rosto, docemente acariciando sua bochecha. Aproximei nossos rostos cada vez mais. Fechei meus olhos lentamente. Até finalmente sentir seus lábios nos meus. Nesse momento uma corrente eletrica passou pelo meu corpo. Uma sensação de borboletas no estômago, e pele arrepiada. Era como eu estava. Nossas linguas, se acariciavam doces dentro de nossas bocas.
Era algo tão bom. Tão maravilhoso. Beijá-la. Sentir seus lábios, junto aos meus. Me sentir amado. Sentir sua lingua acariciando a minha, tão doce e ao mesmo tempo tão intenso. A segurei com mais força pela cintura, sentindo seus carinhos em minha nuca. Era o meu primeiro beijo de lingua, e eu não sabia, se estava agradando-a. Mas, eu sentia que estava agradando. Afinal, ela abraçava minha cintura por vezes, e outras pegava em meus cabelos. Paramos pouco a pouco o beijo, com um longo e maravilhoso selinho. Sorrindo um para o outro.
– Eu amo você.- disse ela, sorrindo doce para mim. Seus lábios estavam vermelhos e levemente inchados. Sorri, acariciando levemente seus lábios com o dedo indicador.
– Desculpa eu acho que não fiz direito. Você foi a primeira garota que beijei, eu sei que não agradou mas... - eu dizia rápido, tentando me explicar o motivo do meu péssimo beijo.
– Eu fico feliz, em ser sua primeira. Você beija muito bem. – riu ela, me dando um beijo na bochecha. Risonha. Sorri ainda mais.
– Eu também amo você, minha linda.- falei sorrindo. Um sorriso bobo e apaixonado como sempre. Segurei com uma mãe, novamente iniciando mais um beijo. Nossas linguas se tocavam intesamente dentro de nossas bocas. Era maravilhoso, senti-la com eu sentia agora. Esse é o melhor baile da minha vida.
Parem a Música.

POV ANNA
Realmente minha mãe tinha razão. E olha só. Eu agora sei que, o homem da minha vida também me amava. Me amava como eu o amava. E a sensação de ter seus lábios junto aos meus. Sua lingua, acariciando a minha, era simplismente incrivel. Sem contar que, ele estava simplismente lindo esta noite. Parecia mentira. Caramba, então quer dizer que ele me ama desde a primeira vez que me viu? Como eu não percebi isso? Como? Era maravilhoso, saber que o meu amor era correspondido. Seus lábios eram tão gentis, tocando os meus com doçura e delicadeza. O ar fazia-se necessário, e como um ser humano comum, interropemos o beijo com um longo selinho. Sorrimos juntos. Se isso for um sonho por favor não me acorde.
– Eu te amo. - dissemos juntos, rindo.
– Pensei que não viria.- falou alguém atrás de mim. Me virei, dando de cara com Damon. Nossa ele tava realmente lindo. Sorri amarelo para ele.
– Bom, eu não vinha mas... - tentava eu argumentar. Eu tava com medo do que ele poderia pensar.
– Tá. Eu entendi.- me cortou ele, sumindo do meu campo de visão. O que eu menos iria querer agora é que o Damon ficasse chateado comigo. Tentei seguí-lo, sentindo ser puxada pela cintura. Dei de cara com Justin. O mesmo me segurava possessivamente pela cintura.
– Depois você fala com ele, amor. Hoje é o nosso dia.- comentou fofo.Respirei fundo, sentindo ele deixar um selinho carinhoso em meus lábios.- vem cá. Quero te mostrar uma coisa.- falou fofo em meu ouvido. Sorri baixinho, entrelaçando nossas mãos. Saimos de todas aquelas pessoas. Caminhando juntos em direção ao jardim da escola. Que a essas alturas estava quase vazio. Paramos de andar, e me dei ao luxo de observar ele ficar a minha frente. Ajoelhando-se.
– O que vai fazer?- perguntei confusa. Vendo-o tirar do bolço, uma caixinha preta e muito pequena. Sorri ainda confusa.
– Eu quero fazer tudo certo. Quero poder te chamar minha, de meu amor. Fazer de você a mulher mais feliz do mundo. Eu amo você, Anna Mel. Você aceita ser a minha namorada?- perguntou ele, me olhando nos olhos. Abrindo em seguida a pequena caixinha. Dentro dela, havia um lindo anel com o símbolo do infinito. Sorri boba, acentindo positivamente com a cabeça encantada. Ele sorriu largo pra mim.
– Sim, sim, sim eu aceito.- respondi com um sorriso maior que a cara. Ele tirou o anel da caixinha, o pondo carinhosamente em meu dedo. Deixando nele, um pequeno beijinho. Levantou ficando novamente a minha altura. Me abraçou pela cintura, tomando novamente meus lábios em mais um beijo. Me girando no ar, enquanto nos beijavamos e soltavamos risadinhas entre o beijo.
- Com licença. Mas acho, que eu não nasci para ficar de vela. - disse uma voz atrás de nós. Olhei para trás, parando o beijo. Era Ashley. Sorri envergonhada, enquando Justin me abraçava pela cintura, por trás.
– Desculpa. – sorri envergonhada.
– Tudo bem. Mas como vai o casalzinho feliz? Com saudades de mim? Estou linda? Bom, é claro que estou! E se não fosse a minha mente brilhante vocês não estaria felizes e sorrindo, como estão agora. - disse ela sorrindo. Caramba, apesar dela parecer um bolo nesse vestido, estava muito bonita. Mas fiquei confusa. “graças a minha mente brilhante, vocês estão juntos.”. como?
– Obrigada Ashley. Você ajudou muito.- respondeu Justin, provavelmente sorrindo. Fiquei ainda mais confusa. “obrigada?”
– Como assim? Do que vocês estão falando?- perguntei confusa. Justin riu.
– Bom, lembra de todos aqueles momentos “fofos” entre eu e o Juju?- perguntou a loira, fazendo aspas com os dedos. Acenti.- bom, aquilo tudo foi mentira. O Juju, tava desesperado por que você não percebia, o que ele sentia por você. Então, eu como uma boa atriz fiz isso, para provocar ciúmes em você. Bom eu não sei se ficou com ciúmes, mas vocês estão juntos então acho que valeu. Mas agora tchauzinho que tenho que espalhar a minha linda beleza para toda a escola. Tchauzinho.- falou ela rápido. Como é que essa menina respira? Hum? E assim, ela saiu do meu campo de visão, nos deixando novamente a sós.
– Mas que menino danado você, né? Trelando, e eu acreditando. Eu deveria te dar umas boas palmadas.- falei, para ele com as mãos na cintura. Ele riu.
– Aé? Bate? Mas bate no bumbum!- brincou ele, virando de costas, empiando o bumbum pra mim risonho. Eu ri dele, dando um pequeno tapinda em seu bumbum. Ele riu ainda mais, virando para mim. Me abraçou pela cintura, colando nossos corpos.
– Hum... Tá se aproveitando né? Safadinha.- continuou ele. Eu ri. Pondo minhas mãos, em seu ombro.
– E você ama essa safadinha. – comentei, lhe dando um selinho.
– É mesmo. eu amo essa sadadinha... Minha safadinha. - concluiu ele.
– Eu também te amo. - finalizei. Juntando novamente meus lábios aos seus, em um beijo doce e intenso. Ele é só meu. O meu garoto maluquinho, e certinho. O meu querido nerd.

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang