14 de mai de 2013

My Dear Nerd - Capítulo 17 - Fique Bem Longe de Mim

Fanfic / Fanfiction de Justin Bieber - My Dear Nerd - Capítulo 17 - Fique Bem Longe de Mim

POV ANNA
No Capítulo Anterior.....
– Por que está vestida assim? O que está fazendo aqui?- perguntei confusa. Ela sorriu debochada.
– eu vou com vocês, priminha querida. – respondeu ela com um sorrisinho debochado.

– Como assim? Eu achei que você não...
– Que eu não ia? Sinto muito desapontar queridinha. Mas pode dizer para sua amiguinha oxigenada, que eu vou. Espero lá em baixo, priminha.- respondeu ela debochada. Saindo do quarto, com a maior cara de pau. Arg!
– Anna amiga, estou pronta. Linda maravilhosa e porderosa. - falou Ashley sanindo do banheiro, fazendo pose. Eu ri de leve, enquanto ela ficava ao meu lado.
– Ei, por que você não está com aquele sorriso largo, por ter a honra de admirar minha beleza?- perguntou ela, erguendo meu rosto com o dedo indicador.
– É que... A Ananda vai com a gente.- falei respirando fundo. Sentindo na hora, Ashley me encarar com os olhos arregalados. Ih. Agora ela vai dar piti.
– O que? Como assim a baranga azul vai? Eu não acredito. – dizia ela andando de um lado para o outro, já com lágrimas nos olhos. Sentou na cama, deixando algumas lágrimas molharem seu rosto maquiado.
– Ashley não chora.- falei, sentando ao seu lado na cama. A abraçei de lado, e com o dedo indicador, obrigei-a a me encarar.
– Eu não tenho chances, Anna. Ela é linda, muito linda. Quem vai olhar pra mim? Quem? É certo que vou perder. Isso não é justo. Eu sempre sonhei com isso, ser uma miss. Esse é o meu sonho. O sonho da minha mãe. Vai tudo pro buraco por causa de uma garota de olhos azuis, invejáveis.- reclamou ela soluçando.
– Vamos garotas, mas que demo....- falava alguém. Mas o mesmo se interrompeu, ao provavelmente ver aquela loira, chorando quase inconsolável. Levantei o olhar, vendo agora o ser ajoelhado a minha frente. Justin. Ele nos encarava confuso, enquanto Damon estava sentado ao meu lado. Sim, Damon.
– O que houve com ela? E quem era a garota linda, que estava na sua sala, Anna?- perguntou Damon.
– AHHHHHH!- gritou ela Ashley, chorando ainda mais. Os garotos a encararam desentendidos.
– O que houve com a Ashley?- perguntou agora Justin. Suspirei, os encarando.
– Está tudo bem. Ela apenas está nervosa. Desçam. Iremos em seguida. – falei pra eles, que acentiram saindo do quarto em seguida.
– Ashley olha pra mim. Nos meus olhos.- falei, erguendo seu queixo obrigando-a a me olhar.
- Presta atenção. Não importa o quanto azuis são os olhos dela. Não importa o tanho de sua beleza impecável. Ela tem tanta beleza, mas não tem o que você tem. Você é linda, inteligente, engraçada. É uma excelente amiga. Você tem tantas qualidades, minha flor. Não chore por, não ter olhos tão azuis. Isso é uma bobagem. Você é linda, Ashley. Linda! Olhe para você. Chorando, sem nem ao menos tentar. Se ser miss, é o seu grande sonho corra atrás. Não é nenhuma garota que vai deixar você para baixo, por que eu não vou deixar.- falei. Olhando-a olhos nos olhos.
– Mas...
– Ashley para. Não importa ela, não importa o resultado desse concurso. O que importa é que nós te amamos. Sua mãe, eu, Damon, Justin não vamos deixar de amar você, por que não ganhou um concurso. Existe muitos desses, pelo mundo. Se não der certo em um, tente em outro. Pode ter certeza, que sempre terá o meu apoio. Mas, por favor não chore. Não sabe o quanto me doi o coração, ver você desse jeito. Vamos. Limpe essas lágrimas, ponha um lindo sorriso no rosto e vamos em frente. Não desista dos seus sonhos por um obstáculo.
– Mas você, não vai desfilar comigo para me dar apoio.- resmungou ela, ainda chorosa.
– Eu sei. Mas vou estar na plateia, torcendo por você. Tenho certeza de que vai conseguir. Estamos todos torcendo por você, lhe dando forças. Olhe quanta gente vai por você. Eu, Justin, Damon, seus pais, nossos amigos, as garotas da torcida, seus primos, e colegas de classe. Essas pessoas, estão lá por você. Não desista agora. Eu sei que você consegue. Eu vou estar sempre com você. Sempre.- falei, segurando em suas mãos. Ela sorriu largo pra mim.
– Sempre?
– Sempre!- garanti, e por fim nos abraçamos.
[...]
Estavamos todos sentados em volta da passarela. Agora quem desfilava era Ananda. Eu achei seu vestido um pouco bizarro, mas devo admitir que ela está linda.  Ashley já tinha desfilado e estava mais confiante do que nunca. Apoiei minha cabeça na curva do pescoço de Jutin. Sentindo ele deixar um beijinho doce, em meus cabelos. Sorri encarando por alguns instantes, nossas mãos, entrelaçadas em seu colo.
Eu me sentia tão bem com ele. Estar perto dele, sentir seus beijos, carinhos e cafunés era uma sensação simplismente incrivel. Eu amo quando ele me mima, trazendo aqueles salgadinhos Cheetos sabor requeijão, do maior pacote. Amo quando ele me chama de “meu anjo”, e assite os filmes mais melosos que eu gosto sem reclamar. Também quando ele me passou a cola, em um teste de Física e Matemática. Adoro quando ele me beija, e diz que me ama incondicionalmente. Ele era tão especial pra mim. Eu o amava tanto, que acho que não viveria sem ele. Era como se eu estivesse completamente dependente daquele nerd que tanto amo.
– E finalmente, o resultado senhoras e senhores.- falou uma mulher, me despertando. Nossa. Fiquei tanto tempo “fora de orbita” assim? Ual.
– Já está na hora do resultado? Que rápido. –falei me ajustando melhor a cadeira. Tô com o bumbum dolorido.
– Rápido? Parecia que isso nunca ia acabar.- reclamou Damon ao meu lado. Sorri para ele.
– Já já acaba. É só ter paciencia.- falei, vendo ele revirar os olhos. Ri.
– E o prêmio de Miss Stratford vai para...- dizia uma mulher loira, tirando de um envelope dourado um pequeno papel, também da mesma cor.
– Ashley Benson.- disse a mulher, enquanto eu encarava a expressão de felicidade da minha amiga louquinha. Sorri largo para ela, fazendo um sinal de legal com o dedo.
– Obrigada.- sussurrou ela, para mim, enquanto uma outra garota, colocava sobre ela uma faixa azul. Encarei Ananda, vendo ela bufar, provavelmente irritada. Arqueei a sobrancelha, vendo que agora ela me encarava sussurrando para si, uma provável ofensa.
[...]
– Ual, acho que essas pessoas não sabem se pegar discretamente. Nossa! - dizia Justin impressionado. Obsevando as pessoas dançarem, enquanto me abraçava por trás. Eu ri, virando ficando de frente para ele, sentindo seus braços segurando possessivamente minha cintura. Me dando um beijinho nos lábios.
– Você ainda não viu nada... O que acha de uma dança? - perguntei rindo dos seus olhos arregalados e assustados com a quantidade de pessoas que estavam se beijando, descaradamente.
– Eu não sei dançar, amor. E se eu pisar no seu pé?- perguntou ele.
– Mas... - eu tentava falar, mas fui interrompida por Ananda. Que apareceu de repente, me dando um completo susto. Ela vem lá da casa de chapéu e me dá um susto desses! E lá estava ela. Com aquele vestido vermelho, curtíssimo. Puxando Justin bruscamente pelo braço. nos obrigando a partir o abraço.
– hum. Anna querida, será que você se importaria seu eu roubasse seu namorado um pouco? Ah é claro que não. - falou ela, rápido o puxando para um lugar na pista longe de mim. Bufei, respirando fundo. Eu se quer tive a chance, de puxá-lo de volta. E a música que pairava no ar, não ajudava em porque nada.
– Cadê o play boy?- perguntou Damon ao meu lado. O encarei com um meio sorriso.
– Bom, Ananda puxou ele de mim. E agora eu não faço a mínima ideia de onde esteja. Mas deixa pra lá... Mas e você, tem alguma garota em vista? Tem muitas meninas bonitas aqui.- respondi, olhando em volta, tornando a encará-lo.
– Tenho sim.- sorriu.
– Sério? Chama ela pra dançar, tenho certeza que ela vai adorar. – falei gentio. Era bom saber, que ele tava gostando de uma garota. Espero que ela seja maravilhosa com ele. Damon merece ser feliz.
– Vamos dançar, Anna?- perguntou ele me estendendo a mão.
– Mas e a garota que você ia....- eu falava, quando percebi que era de mim, sobre quem ele falava. Sorri pra ele, ouvindo a musica lenta entrar em contato com os meus ouvidos.
– Tudo bem.- sorri pegando em sua mão. Sentindo um leve arrepio passar por todo o meu corpo. Caminhamos em direção a pista de dança. Senti seus braços, em volta de minha cintura colando nossos corpos. Apoiei minhas mãos, em seus ombros. E assim, iniciamos uma dança. Lenta e agradável.

POV JUSTIN
Depois de conseguir fugir de Ananda, procurei Anna Mel por todo o salão. O que ela tinha de errado, afinal? Não sou o tipo de garoto que pode sre atraente para ela. E mesmo que fosse, era errado. Eu tinha uma namorada e a amava mais do que a mim mesmo. Então assim, saí a procura de Anna. Até que finalmente a vejo. Dançando com nada mais, nada menos do que Damon. Eles se olhavam o tempo inteiro, e tinham uma sincronia muito boa. Eles pareciam se olhar com profundeza. Mas que droga. Se não fosse por aquela garota chata, eu estaria dançando com a MINHA namorada. Cara isso não é justo. Suspirei, sentando em uma cadeira perto do balcão.
– Água com gás, por favor.- falei para o carinha que rápido atendeu meu pedido. Deixando a mesma, em cima do balcão. Peguei em mãos o copo, bebendo tudo em um só gole.
– Bebendo, é?- escutei uma voz ao meu lado. Ananda.
– Que susto menina, quer me matar do coração? Mas que coisa! - reclamei irritado. Hoje não é o meu dia.
– Nossa, está irritadinho só por que sua namoradinha está te pondo chifres?- falou ela. Senti meu sangue ferver, me fazendo a encarar com muita raiva.
– Ela é fiel a mim, e ao nosso relacionamento. É só uma dança. Não está havendo nada de mais. Pare com isso.- respondi totalmente grosso. Ela tá me deixando muito bravo. Muito mesmo.
– Jura? Por que, esses tipos de troca de olhares não são do tipo de amigos.- continuou ela. Respirei fundo, sentindo muita raiva. Muita mesmo.
– Ananda já chega. Cala essa porcaria dessa boca.- falei mais alto e grosso. Ela riu debochada.
– Por que, parar de falar a verdade? Acho que não. Estou apenas abrindo seus olhos.- deu de ombros.
– Abrindo os olhos de quê? Você é louca?- perguntei.
– Damon é um homem lindo. Deixa qualquer uma, de queixo caido. Completamente apaixonada. Veja como eles se olham. Tão profundamente. Não me diga que isso não quer dizer nada.- continuou ela. Bufei.
– Dá pra calar essa maldita boca? Mas que saco. Vai encher outro.
– Estou abrindo seus olhos, Justin. Ela é minha prima, mas não é por isso que vou deixar ela trair você. Eu não posso, não é justo.- disse ela. A segurei pelos ombros, a chaqualhando de leve.
– Como assim trair? O que você quer dizer com isso, Ananda? Olha se você estiver brincando eu....
– Eu não estou brincando. Eu não quero que você sofra Justin. Será que não vê? Tá na cara, que Anna está te traindo com o Damon e....- falava ela. Mas a interrompi.
– Eu não acredito em você! É mentirosa, eu não acredito em você. Ela me ama, ouvio? AMA! E não vai ser você, nem ninguém que vai destruir isso. Eu a amo, e ela me ama. Se não consegue conviver com isso, cai fora. Mas nos deixe em paz. Entendeu? Em paz!- a sacudi com força.
– Ei cara, deixe a garota em paz. Você está machucando ela.- disse o carinha do bar. Soltei ela com força, a encarando com nojo. Ela por sua vez, sorriu debochada sumindo do meu campo de visão. Bufei encarando eles novamente. É, Ananda tem razão.
Parem a música

POV ANNA
– Seu namorado, não deveria deixar uma linda garota como você sozinha.- dizia Damon. Eu ri fraquinho.
– Obrigada pelo elogio.
– Não vai porcurar por ele?- perguntou erguendo a sobrancelha.
– Não, eu... Acho que não. Prefiro ficar aqui. – respondi suspirando.
– Melhor pra mim. Vou ficar com uma linda dama, para me acompanhar.- ele riu, me fazendo rir também.
– Idem.- ri. Apoiei minha cabeça, em seu ombro respirando fundo.
– Está tudo bem, princesa?- perguntou ele. Suspirei, o encarando.
– É que... – eu falava. Ou tentava. Até que senti segurarem meu braço com brutalidade, me afastando de Damon. Encarei o seu que segurava meu braço, confusa. Era Justin.
– Justin? O que está fazendo? – perguntei confusa. Ele encarou Damon de cima a baixo, certamente com nojo.
– Sabia que ela é comprometida? Seu idiota?- perguntou ele rude, para Damon que deu de ombros.
– É claro que sei. Mas já que o babaca, que ela chama de namorado não estava dando a ela compainha, eu dei compainha para ela.- respondeu ele, no mesmo tom. Mordi os lábios, confusa. Justin nunca foi grosso, com ninguém. O que houve com ele?
– Babaca é...
– Parem os dois. Esse é o dia da Ashley. Não vamos estragar isso.- falei os interrompendo.
– Isso mesmo. vamos embora.- completou Justin me puxando pelo braço, com força pra fora do lugar.
[...]
– O que está fazendo? O que houve com você?- perguntei irritada, quando finalmente estávamos fora do local. Me soltando dele, bruscamente. O encarando de sobrancelha erguida.
– O que deu em mim? Eu é quem deveria estar perguntando isso. Mas que droga!- gritou ele exasperado. Eu estava muito assustada, e confusa.
– O que deu em você, Justin? Estavamos tão bem até agora, o que você tem? Você nunca foi grosso comigo.- perguntei confusa.
– O que eu tenho? O que eu tenho? Por que você fez isso? Se gosta dele, me fala logo.- falou ele alterado, me segurando pelos braços com muita força.
– Justin você tá me machucando.- falei vendo ele ficar ainda mais furioso.
– Aposto que você gostava quando ele te machucava, não é?
– Do que você está falando? Para você está me machucando.- falei. Ele tava me assustando.
– Eu digo que você está me traindo com um certo, idiota de olhos azuis. – gritou ele. Me irritei logo. Eu não admito que ele está falando isso. Me soltei bruscamente dele. O encarando olhos nos olhos. Meu sangue tava fervendo de raiva, eu não acredito que ele falou isso.
– Como assim te traindo? Você ficou louco? Como você housa dizer isso? Eu nunca, tá me ouvdindo? NUNCA te trai. NUNCA! Você virou um idiota? Como você pode duvidar da minha fidelidade? Hein, caralho responde, porra!- gritei completamente fora de mim, vendo ele arregalar os olhos assustado.
– Me fala caralho! Por que eu perderia tempo, traindo você por trás, quando eu muito bem terminar com você primeiro. Você não sabe o ódio que eu sinto, quando duvidam de mim. Sabe, isso me deixa tão irritada, que me dá vontade de esganar o seu pesçoco. Caralho!- continuei gritando, vendo ele por as mãos sobre o pecoço. Como se o protegesse.
– E-e-e-eu...
– "Eu" um caralho! Você agiu como um perfeito idiota sabia? Eu pensei que fosse diferente. Pensei que me amasse e confiasse em mim. Mas vejo que estava enganada. Você é como eles, tão... Arg. – eu gritava, o mais alto que podia. Naquele momento eu não raciocinava direito. Falava tudo o que vinha na minha cabeça.
– Anna está tudo bem? Quer que eu te leve pra casa?- perguntou Damon, atrás de mim. Supirei encarando o chão.
– Ela não precisa de você! - gritou Justin, grosso. Me segurando novamente pelo braço.
 – ME SOLTA!- gritei para Justin. Que logo me soltou, com um bico enorme na cara.
– Você vem Anna?- continuou, Damon.
– Quando você deixar de ser um idiota patético, agente conversa. Enquanto isso, fique bem longe de mim.- falei rude para Justin. Suspirei fundo.
– Vamos Damon. Me leve para bem longe daqui, por favor.- me virei para encará-lo. Ele acentiu, e logo entramos no carro. Finalmente saindo do local.

0 comentários:

Postar um comentário

About

 

Fanfics para Belieber Template by Ipietoon Cute Blog Design and Bukit Gambang